quarta-feira, 24 de maio de 2017

Mostrar que "estou mais leve"!

Hoje resolvi dar também aqui pelo blog um toque de leveza. Os últimos meses (mais propriamente desde final de Novembro) foram muito difíceis, aliás demasiado pesados, cruéis e, às vezes, mesmo insuportáveis... Por tantas e tantas razões, coisas e pessoas menos felizes... Mas, porque felizmente sou uma pessoa "abençoada" as coisas foram possíveis de se transformar, de ficar mais fáceis, menos difíceis, mais doces e calmas...
Perdoar! Foi o primeiro passo e depois? Depois tudo mais deixa de fazer sentido tal como era. Tudo fica visível de outro prisma. Tudo fica bem mais leve. Eu também estou mais leve. Porque deixar de carregar certos pesos nos faz mais leves... E quero que aos poucos isso se vá notando, por aqui... e pelos meus gestos concretos!

segunda-feira, 15 de maio de 2017

#63 Frase da Semana


#2 Aos fins-de-semana acontece!

Mais um fim-de-semana grande e em grande!!! E, arrisco-me mesmo a dizer, que o maior de todos nos últimos tempos!!!
Mas, por muito que possa dizer sobre o mesmo, aviso já que é indescritível, não tenho as palavras certas para chegar sequer perto daquilo que vivi e senti este fim-de-semana em Fátima! Sim, estive em Fátima. Estive com o Papa. Vi o papa de perto. Estive com Nossa Senhora e encontrei a Paz e a Esperança! Fui, sobretudo, peregrina da esperança e da paz. Sarei uma ferida. E estou pronta para perdoar. Mas, vamos por partes então...


Quinta feira à noite foi mega louca: fazer uma mala mínima com TUDO lá dentro, ir às compras 2 e 3 vezes porque me esqueci sempre de qualquer coisa importante, tipo do pão. Acredito que era do stress! Mas a verdade é que depois de tudo pronto também não estava fácil de dormir. Já passava das 01:30h da manhã de sexta quando apaguei a luz e coloquei o despertador para as 05:30h! Na hora do despertar, recebia também uma mensagem com a imagem de amigos que já se encontravam no santuário. "ok vou ficar do lado de fora!" primeiro pensamento! "Só dormi 4 horas e se calhar nem vai valer a pena", pensamento seguinte... E depois a chuva que caiu durante a noite era assustadora e ainda havia previsão de mais chuva e... e tantos "is"... Mas pronto contrariando tudo lá saí de casa já com um ligeiro atraso (coisa habitual nas minhas rotinas!) apanhei o J. e pelo caminho também a I.B. e fomos quase os primeiros a chegar.
A partida para esta aventura, com o grupo quase desconhecido, deu-se na Ericeira e já estava prestes a acontecer! Um pequeno guião de oração nos acompanharia e agora era apenas fazer-nos ao caminho! Rumo a Lisboa, apanhamos o comboio para "Chão de Maças" e depois daí fizemo-nos literalmente aos caminhos... E foi mesmo fazer caminho!!! Neste caminho houve tempo para tudo: para comer, rir, meditar, conversar, rezar, silenciar, partilhar, repensar na vida, tomar decisões e sobretudo encontrar as razões para "ainda" valer a pena estar neste Caminho! Uma breve conversa com o Pe TF ajudou bastante a perceber que há coisas que temos mesmo que retomar e fazer. (E eu vou fazer!) A tarde custou um bocadinho mais e houve momentos em que caminhei sozinha propositadamente para puder rezar e rezar e rezar e... e enfim encontrar aquilo que já só encontrei no Santuário: o abraço da Mãe!


Na entrada em Fátima o grupo estava partido em dois. Os que caminhavam mais devagar, à tarde perderam-se e seguiram outro caminho. Por isso esperamos por eles nas traseiras da igreja onde os pastorinhos e hoje Santos de Fátima (Jacinta e Francisco) foram batizados. A mesma igreja para onde o Francisco fugia, não indo à escola,  para estar a fazer companhia ao "Jesus Escondido". E eu, por breves momentos, fiz o mesmo! E foi tão bom...


Depois o grupo voltou a ser um só e já de novo a caminho, com o santuário a cerca de 15/20minutos, avistamos o helicóptero do papa, vimo-lo pousar não muito longe do local onde estávamos e a certeza de que já não estaríamos no santuário ao mesmo tempo que Ele nesse momento foi total! Mas, porque estávamos numa terra abençoada, um policia diz-nos que O podíamos ver numa estrada um pouco mais à frente! E foi assim mesmo que aconteceu... Esperamos um bocadinho junto às grades, conversei um pouco com uma senhora que nitidamente não estava ali pelos mesmos motivos que eu e depois lá vi, bem de pertinho o Papa Francisco. Este é o 2.º papa que vejo pessoalmente e em circunstâncias muito idênticas, mas garanto que a felicidade de estar com o seguidor de Pedro será sempre única! Fiquei mesmo feliz e, achei - erradamente - que só por aquilo, por ter visto de perto o Papa, já tinha valido a pena! Continuamos o caminho e, mais à frente fomos impedidos de avançar e assim acabamos por voltar a ver o Papa. Algum aperto e, momentos depois estávamos finalmente a entrar no santuário...


Só quem caminha para Fátima, principalmente disposto a fazer caminho, é que sabe o que se sente quando lá chegamos. Quando chegamos junto da Mãe! Podemos estar cheios de dores, cansados, exaustos, doridos, cheios de feridas da alma e do corpo... mas tudo passa quando A vemos, quando Ela nos abraça! E, inesperadamente, Ela de facto, desta vez abraçou-me mesmo!!! Com um dos melhores abraços que já recebi na vida... (E eu até sou uma pessoa que abraça bastante!) Nossa Senhora, mandou-me um daqueles abraços que se sabe (e sente) que só podia ser assim, sinal de que nunca estive ou estou sozinha, sinal de que as coisas acontecem simplesmente porque "tem que haver quem sofra" e sinal de uma marca fiel para quem, agora sabe, que foi ouvida pelo caminho... Estávamos à procura de um lugar para 40 pessoas, quando avisto um grande e especial amigo (Pe JS), que me dá um abraço "triplo" que me encheu de um misto de felicidade, paz, esperança, conforto e gratidão que não consigo sequer descrever... Foi a certeza de que agora sim, tinha valido a pena! A Mãe tinha-me acolhido "em seus braços" através daquele que não só é um grande amigo, mas sobretudo um grande pastor na igreja do Seu Filho!!! Houve depois hipótese de falar um pouco mais com esse amigo, de lhe contar das minhas coisas, da minha vida, das minhas dores, dos meus medos, das minhas crises de fé, dos meus anseios enquanto grande pecadora num caminho que nem sempre sinto ser o meu... E de perceber que estava pronta para fechar uma ferida e para perdoar! Nem sei se ele percebeu o bem que me fez...
Depois durante aquele fim de tarde e noite consegui encontrar e, sobretudo, reencontrar um monte de amigos, espalhados por este país fora e de receber e dar alguns abraços que não só selam amizades, mas sobretudo transmitem a tal paz e esperança que os "verdadeiros peregrinos de Fátima" tanto anseiam, desejam e proclamam... Entre os que se preparam para abraçar o caminho do sacerdócio (RS e o AV - uma novidade muito feliz!!!), aos que se estreiam no matrimónio, ainda consegui encontrar um amigo que já não via desde 2011... E, tal como o próprio dizia, "que bonito encontrarmo-nos aqui!"... Estes são também sinais de que o caminho nunca é feito individualmente, não estamos nunca sozinhos, para além de Maria e Jesus, há também pessoas que fazem caminho connosco... independentemente do lugar ou tempo em que caminham.
A noite e o dia seguinte foram tão mágicos, belos e cheios de paz e esperança... com uma felicidade singela e tranquila, que me levavam à exaustão dos sentimentos... As palavras do papa foram todas extremamente marcantes, as emoções estiveram muitas vezes à flor da pele e também a escorrer pelos olhos... E foi tudo tão bom! O "acordar" ao som dos passarinhos, o estar naquele local, o ouvir as histórias simples de vida dos pastorinhos, o puder estar naquele local sagrado a assistir a tudo aquilo, o cansaço e a certeza desta fé tão mais forte após a queda... Foi tudo importante, bom, necessário e apaziguante... Foi um fim-de-semana onde me reencontrei comigo, com o que sou, com o que Jesus me pede a cada difuldade, com a certeza de que "tenho uma mãe" que me segue no caminho. Foi o encontrar na paz e na esperança a simples certeza de que "Tu não fizeste nada!" mas, que Jesus me pede muito, me pede tudo! E por isso tenho, muitas vezes, também que sofrer... tal como no caminho... passar pelas dores, pelo esforço, pelo cansaço... e sobretudo, pela sensação boa de ser abraçada a cada chegada, a cada reencontro!
O retorno a casa foi molhado e abençoado, tal como nas JMJ! E o domingo foi tranquilo, entre a catequese, as longas conversas e o muito descanso!

E algumas fotos...
Não tirei muitas, porque estive sempre mais que fazer... :) Em resumo: estou em paz e feliz!








segunda-feira, 8 de maio de 2017

Bolos e Bolinhos #13

No sábado foi dia de fazer um mega bolo com a ajuda das mães dos meninos que faziam a primeira comunhão! O bolo está bastante irregular porque na verdade são 8 bolos - um de cada menino - e as fotos também não estão grande coisa. Mas dá para ver que foi um trabalho muito bem sucedido :)... Mais um bolo! E daqui a menos de 1 mês haverá outro do mesmo género e um só para o sobrinho! :)





 



quarta-feira, 3 de maio de 2017

#61 Frase da Semana


#1 Aos fins-de-semana acontece!

Acho que está aberta uma nova rubrica por aqui no blog! :) A ideia surgiu há uns tempos mas ainda não tinha passado da ideia para as palavras. Mas, porque este fim-de-semana foi mesmo especial, achei que era o momento certo para começar a relatar os meus fins-de-semana!
Na sexta não aconteceu, como na maioria das sextas, nada de especial: sexta é dia de psicóloga com o meu sobrinho e, por vezes, de extremo cansaço... Esta foi assim, com o acréscimo de ter uma mala para fazer, para partir no dia seguinte para um local especial!
No sábado acordei cedo (odeio!), apanhei a B., o D. e depois a I. e fizemos-nos à estrada até a um local que nos recebe sempre muito bem e onde ambos queremos sempre voltar: à Casa de Saúde do Telhal. Desta vez, fomos pela JMV! E foi tão bom...



Nesta casa, como já pude relatar por aqui algumas vezes, consigo ser verdadeiramente feliz! Pois lá tudo se torna transparente, genuíno, sem máscaras e sem filtros... Ali tudo é como é! Não temos que fingir nada e a genuinidade enche-nos a alma! Há qualquer coisa que nos enche o coração, que nos fere, que nos queima... Poder ser apenas "Eu", olhar o outro apenas como pessoa, sem medo, sem ver diferenças ou ideias pré-feitas e deixar que o outro me olhe assim também é de facto uma experiência muito bonita! E depois, para que vamos? Simplesmente para ajudar na necessidade mais básica de cada uma daquelas pessoas que por ali encontramos: fazê-los felizes!





No sábado, tivemos o habitual "confronto" com as unidades e depois do almoço iniciou-se os trabalhos nas unidades com os utentes. Na minha houve um começo menos bom mas, depois, foi sempre em crescendo! E que bom que foi estar com os utentes!!!
Durante a noite tivemos tempo de partilha e oração permanente... Calhei com um "amigo" que não conhecia bem e foi muito boa a nossa oração, sobretudo pela genuinidade e carinho que pude sentir durante aquele pequeno tempo. Levava na ideia que ia rezar muito e dizer a Deus tudo e mais alguma coisa e depois, disse-lhe apenas o mesmo de sempre... Mas gostei muito daquele momento! Gosto de pessoas que transpareçam verdade... E, talvez porque precisava mesmo, achei muito verdadeiro aquele momento de oração a três...


O domingo foi dia de levar os utentes à Eucaristia, ao café, a passear, à oração Mariana e ao karaoke. Este último foi, sem dúvida, o momento alto do dia!!! Já não me ria com vontade há muito tempo... E não pensem que ri "das figuras" dos utentes, ri com situações em que nós - as ditas pessoas "normais" - não conseguimos ser como eles! Livres e verdadeiros... Quantas vezes nos apetece estar só com aquela pessoa? Ou falar com alguém que nos chama a atenção? Ou convidar um desconhecido para dançar? Ou dizer simplesmente "gosto de ti"? E não o fazemos porque "os nossos padrões" nos dizem que vamos parecer tontinhos? Pois é! É a falta deste filtro, deste travão que faz aquelas pessoas serem tão especiais! E, muitas vezes, duvidar se as "pessoas normais" não serão mesmo eles e não eu/nós!
Na segunda (feriado e assim parte do meu fim-de-semana) estivemos pouco tempo com os utentes, foi tempo de despedidas, e que despedidas! Sem grandes promessas, mas com uma certeza: voltarei em breve!!!
E depois tivemos as eleições do novo concelho regional sul da JMV, que estará muito bem representada no novo triénio! E por fim foi tempo de voltar à realidade das nossas vidas, das nossas casas, das nossas máscaras...

terça-feira, 11 de abril de 2017

Balanços da minha vida #3

Hoje, em plena Semana Santa (ou, como prefiro chamar-lhe, "Semana Maior!"), paro para repensar um pouco a minha vida. Ou melhor, para reler o meu passado! Porque o futuro está "nas minhas costas" e por isso devo construí-lo com os olhos postos no meu passado!
Mas, vamos com calma, o que é isto do futuro estar nas costas? Então? O Futuro não está diante dos nossos olhos? Pois bem, isto é algo em que os Judeus acreditavam e que, analisando bem, está correto! Hoje todos queremos esquecer o passado, viver "bem" o presente e planear o futuro o melhor possível e no fim acabamos por viver em constante adiantamento, sem aproveitar o presente e, sobretudo, ansiosos com algo que queremos que seja sempre novo: o futuro!
E, muitas vezes - a mim acontece-me diariamente! - este sobressalto da vida quase que nos enlouquece, desgasta e cansa... Consome-nos por andarmos sempre em contra-relógio. E depois, simplesmente, esquecemos que a construção do futuro só é possível à custa daquilo que é o nosso passado, relendo e aprendendo com esse passado, carregando nas costas o nosso passado... Com tudo o que isso acarrete! Com o peso que isso tiver!!! E - voltando à semana maior - não há-de pesar mais que a Cruz de Cristo! É esse passado que desenhará o dia de amanhã: corrigindo erros, remendando rasgos, tapando buracos, sarando feridas, refazendo o que de pior vivemos e projetando o melhor para que se repita, para que se prolongue, para que se engrandeça e, sobretudo, para que nunca se esqueça! Viver, corrigir, aprender e viver de novo... num ciclo bom que nos mostra quem somos desde sempre! Sem medo de estarmos no passado. Sem receio da nossa história. Sem o stresse frenético de fazer o futuro no agora.
Felizmente, tenho um passado muito bonito! Sempre feliz e em constante harmonia? Não! Nada disso. Aliás, muito pelo contrário!!! Eu tenho um passado feito de muitas pedras e quedas, de choros e dificuldades, de incertezas e angústias, de tristezas e amarguras, de ausências e perdas, de silêncios e solidão, de incompreensões e diferenças várias, de tempestades que me levaram a portos desconhecidos, de ventos que não raramente sopravam em direção contrária... Tenho um passado, que orgulhosamente me levou sempre a ser diferente! Mas, e sobretudo, tenho um passado onde encontro sempre motivos que me fazem esboçar um largo sorriso... Um passado com uma história linda, grande e grandiosamente abençoada por Deus. Uma história desenhada por um lápis que borra, que não é perfeito, que está frequentemente com a ponta grosseira. Mas, um lápis especial! Que está na mão certa, que sempre se deixa afiar, que permite que o ensinem a fazer melhor e que não se cansa nunca de esboçar borrões em tons de cinza de feliz...


Num momento em que me queixo, com demasiada frequência, de andar cansada, desanimada e meio perdida... Sou literalmente perdoada e sinto esta necessidade de parar, balancear a minha vida e aceitar!
Num desgaste constante na procura de tantos "porquês" não consegui, ainda, fechar feridas que tenho mesmo que curar! A noite escura - dure ela o tempo que durar! - não pode ser só um tempo de "porquês"! Não devo, não posso, não quero, nem vou mais desperdiçar tempo e energias a relembrar "palavras feias", pessoas más, momentos tristes... Vou sim, aproveitar tudo isso, que aconteceu no passado, para fazer - mais uma vez - diferente no futuro. Aquele futuro que tenho que alicerçar sobre o passado! Um passado onde Deus foi sempre o mais fiel! Por isso, no futuro, eu não posso esquecer esta realidade tão forte da minha vida!!!


Boa Semana Santa!!!

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Bolos e Bolinhos #12

A minha princesa Nônô completou por estes dias dois aninhos de vida e a tia do coração fez, de novo, o bolinho!
O seu segundo bolo com a sua bonecada preferida e claro com muito mimo... O ano passado, assim meio a medo e levada pela duçura das personagens, aventurei-me naquele que era o meu primeiro bolo com bonecos a 3D (podem ver aqui!). Como não me saí mal, fui dando continuidade a esta doce aventura... 
E foi assim que criei mais um bolinho especial! Como dizia no sábado durante a festinha da princesa, sou completamente amadora e só faço isto porque gosto muito e para amigos especiais, por isso o bolo ser também ele muito especial! Espero que gostem...


A Masha (não tenho nenhum jeitinho para caras de humanos, confesso!)

e o Urso :)
A placa amorosa com o nome da aniversariante

A casa da árvore



O urso estava mesmo um fofo!!!
 

Os promenores ficaram lindos!!!
 

Para o ano há mais!!!
Parabéns princesa!