terça-feira, 11 de abril de 2017

Balanços da minha vida #3

Hoje, em plena Semana Santa (ou, como prefiro chamar-lhe, "Semana Maior!"), paro para repensar um pouco a minha vida. Ou melhor, para reler o meu passado! Porque o futuro está "nas minhas costas" e por isso devo construí-lo com os olhos postos no meu passado!
Mas, vamos com calma, o que é isto do futuro estar nas costas? Então? O Futuro não está diante dos nossos olhos? Pois bem, isto é algo em que os Judeus acreditavam e que, analisando bem, está correto! Hoje todos queremos esquecer o passado, viver "bem" o presente e planear o futuro o melhor possível e no fim acabamos por viver em constante adiantamento, sem aproveitar o presente e, sobretudo, ansiosos com algo que queremos que seja sempre novo: o futuro!
E, muitas vezes - a mim acontece-me diariamente! - este sobressalto da vida quase que nos enlouquece, desgasta e cansa... Consome-nos por andarmos sempre em contra-relógio. E depois, simplesmente, esquecemos que a construção do futuro só é possível à custa daquilo que é o nosso passado, relendo e aprendendo com esse passado, carregando nas costas o nosso passado... Com tudo o que isso acarrete! Com o peso que isso tiver!!! E - voltando à semana maior - não há-de pesar mais que a Cruz de Cristo! É esse passado que desenhará o dia de amanhã: corrigindo erros, remendando rasgos, tapando buracos, sarando feridas, refazendo o que de pior vivemos e projetando o melhor para que se repita, para que se prolongue, para que se engrandeça e, sobretudo, para que nunca se esqueça! Viver, corrigir, aprender e viver de novo... num ciclo bom que nos mostra quem somos desde sempre! Sem medo de estarmos no passado. Sem receio da nossa história. Sem o stresse frenético de fazer o futuro no agora.
Felizmente, tenho um passado muito bonito! Sempre feliz e em constante harmonia? Não! Nada disso. Aliás, muito pelo contrário!!! Eu tenho um passado feito de muitas pedras e quedas, de choros e dificuldades, de incertezas e angústias, de tristezas e amarguras, de ausências e perdas, de silêncios e solidão, de incompreensões e diferenças várias, de tempestades que me levaram a portos desconhecidos, de ventos que não raramente sopravam em direção contrária... Tenho um passado, que orgulhosamente me levou sempre a ser diferente! Mas, e sobretudo, tenho um passado onde encontro sempre motivos que me fazem esboçar um largo sorriso... Um passado com uma história linda, grande e grandiosamente abençoada por Deus. Uma história desenhada por um lápis que borra, que não é perfeito, que está frequentemente com a ponta grosseira. Mas, um lápis especial! Que está na mão certa, que sempre se deixa afiar, que permite que o ensinem a fazer melhor e que não se cansa nunca de esboçar borrões em tons de cinza de feliz...


Num momento em que me queixo, com demasiada frequência, de andar cansada, desanimada e meio perdida... Sou literalmente perdoada e sinto esta necessidade de parar, balancear a minha vida e aceitar!
Num desgaste constante na procura de tantos "porquês" não consegui, ainda, fechar feridas que tenho mesmo que curar! A noite escura - dure ela o tempo que durar! - não pode ser só um tempo de "porquês"! Não devo, não posso, não quero, nem vou mais desperdiçar tempo e energias a relembrar "palavras feias", pessoas más, momentos tristes... Vou sim, aproveitar tudo isso, que aconteceu no passado, para fazer - mais uma vez - diferente no futuro. Aquele futuro que tenho que alicerçar sobre o passado! Um passado onde Deus foi sempre o mais fiel! Por isso, no futuro, eu não posso esquecer esta realidade tão forte da minha vida!!!


Boa Semana Santa!!!

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Bolos e Bolinhos #12

A minha princesa Nônô completou por estes dias dois aninhos de vida e a tia do coração fez, de novo, o bolinho!
O seu segundo bolo com a sua bonecada preferida e claro com muito mimo... O ano passado, assim meio a medo e levada pela duçura das personagens, aventurei-me naquele que era o meu primeiro bolo com bonecos a 3D (podem ver aqui!). Como não me saí mal, fui dando continuidade a esta doce aventura... 
E foi assim que criei mais um bolinho especial! Como dizia no sábado durante a festinha da princesa, sou completamente amadora e só faço isto porque gosto muito e para amigos especiais, por isso o bolo ser também ele muito especial! Espero que gostem...


A Masha (não tenho nenhum jeitinho para caras de humanos, confesso!)

e o Urso :)
A placa amorosa com o nome da aniversariante

A casa da árvore



O urso estava mesmo um fofo!!!
 

Os promenores ficaram lindos!!!
 

Para o ano há mais!!!
Parabéns princesa!

segunda-feira, 20 de março de 2017

Sem título possível

Não raras vezes, acho-me louca, rio sozinha e vou, entre sonhos e pequenos fragmentos  das minhas memórias mais doces, divagando por entre caminhos que me levam até àquilo a que chamo "os momentos". Não consigo atribuir um nome para a fase da vida em que me encontro. Às vezes sinto-me a rebentar de felicidade, de tal modo que o "sorriso tolo" não se desmancha, outras sinto um sufoco tão mas tão grande no peito que me falta o ar...
Mas, estou bem? Sim.
Estou feliz? Também.
Tenho tudo aquilo que quero? Não.
Sinto-me satisfeita com o que tenho? Sim.
Merecia mais? Também.
Acho que no futuro "as coisas" virão? Não.
Mas? Enfim, ainda assim acho que tudo poderia ser tão pior!
Aprendi, com as coisas menos bonitas da vida, a ver o copo sempre meio cheio, a olhar positivamente para cada queda e a aproveitar "cada migalha" com a certeza, quase absoluta, que estas são a parte mais saborosa da vida! Se está certo viver assim? Não sei. Mas sei que se posso ser "só um bocadinho feliz", o serei... Pois mais vale esse pedacinho do que nada. E, há pedacinhos, tão bons na minha vida!!! 
Na verdade "lamber feridas" não é para mim! Acho que a cada queda renasce em mim uma nova vontade de ir mais além do que me está destinado, de lutar com todas as forças que nem sei que tenho e de saborear o que ainda há de bom no mundo. E, ainda há tanto de bom neste mundo!!!
Hoje, mais do que nunca, satisfaço-me com os pequenos raios de sol que vão surgindo por entre as nuvens cinzentas escuras, delicio-me com os gestos de carinho, mimo, ternura, amizade e quem sabe?! amor que vou tendo, alegro-me com os suspiros que partilho com quem gosto, os beijos que me adoçam a vida, os abraços que me confortam, os silêncios que me embalam e acalmam e as palavras, que tantas e tantas vezes me fazem sonhar, acreditar e alimentar a mera ilusão de que a vida tem algo mais para mim! E isso chega-me...
E, não me canso de viver assim! Talvez seja louca. Talvez seja pouco tudo isto e meio sem rumo. Talvez não haja futuro! Mas enquanto me for possível ser louca, rir sozinha, divagar, recordar e aproveitar o que de bom tenho na vida vou fazê-lo!

quinta-feira, 16 de março de 2017

#57 Frase da Semana


#37 Conversas

Uma noite desta semana com um amigo com quem já não estava há algum tempo:
(durante o abraço inicial)
Eu - Que saudades! Há quanto tempo...
Ele - Só mais um bocadinho (abraçados)... Tinha mesmo saudades tuas...
Pareceu-me que o nosso abraço no Carnaval foi especial. Foi tão próximo. Fiquei com a sensação que se passava algo contigo...
Eu - A sério? Está tudo bem. Acho que eram só saudades...
(durante a conversa)
Ele - Tu és uma parva!
Faço cara de incrédula... E:
Ele - É verdade! Tu és mesmo parva! Não acredito que consigas dizer que não se ela te pedir ajuda!
Eu - Pois... Mas estou um bocadinho triste. Quando somos importantes para as pessoas elas lembram-se de nós e procuram-nos... independentemente de tudo o resto! 

Porque há amizades, recentes ou não, que são assim "seladas" por um abraço que vale ouro!
E, porque, num mundo onde as pessoas já não valor aos pequenos grandes gestos: não se falam, não ligam a matar saudades, não se veêm com frequência, não se abraçam, este abraço foi importante e bom! Obrigada EV!!!

sexta-feira, 10 de março de 2017

#8 - Sonhos em silêncio

Este é o mais íntimo dos meus sonhos (embora à vezes o diga em voz alta!)... É aquele que sempre quis, desde que me lembro de ser menina que queria muito, lembro-me de brincar "às casinhas e às mães" e de o imaginar... Mas, é só um de muitos, que vão ficando pelo caminho... Até porque ninguém me garantia que conseguisse trigémeos! 


Isto tudo porque o tempo avança e a idade também... E porque "ainda" me faltam muitas coisas... e porque e porque... (E há quem me ache louca e sem noção!!!)

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Bolos e Bolinhos #11

Numa altura em que me preparo para fazer mais um big bolo em 3D, acho que vale a pena postar os que estão em falta e que fiz nestes últimos tempos em que não andei por aqui...











Fim de Março e temos bolo novo! E sim, eu necessito de um mês e meio para idealizar e fazer um bolo!

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Juntos por esta luta!

No sábado passado, dia 4 de fevereiro, assinalou-se mais um dia mundial da luta contra o cancro... Este vídeo já tem algum tempo. E, retrata apenas um tipo de cancro que é maioritariamente associado às mulheres, mas que também pode aparecer em homens! (descobri isso algures no tempo, enquanto lá por casa se vivia com a doença)
Não sei se este tipo é dos piores, dos que mais mata, dos que mais mutila, dos que mais faz doer... Não sei, nem quero saber. Pois sei que é mau, que mata, que mutila e que faz doer. E sei também que não há nenhum que seja bom! Quando se houve "cancro", ainda que venha a ser "bom", nunca é bom!!!
Não sei se já o disse por aqui, mas odeio este bicho nojento! Maldita doença!
Hoje luto, indiretamente, contra isto. Mas no futuro não sei se não terei que lutar de outra forma. É assustador? Pois é! É muito assustador!!! Mas, muitas vezes, recordo uma conversa que tive com o médico-operador da minha irmã num corredor frio do IPO de Lisboa... Questionei como poderia viver descansada daquele momento em diante? E, a resposta, de forma doce calma foi "Simplesmente não pode. Porque há alguns tipos silenciosos..." E pronto. Há alguns silenciosos. E assim se vai vivendo, lutando, rezando... E, de vez em quando, emociono-me com campanhas como esta. Mas também não há como.

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Sobre a chuva...


Um post dedicado a Ti ou um elogio à amizade!


Já escrevi por aqui inúmeros textos sobre mim, sobre os amigos, sobre ti e no fundo sobre a amizade, quer seja a nossa ou outra que se pareça... Mas, há momentos em que - sinto - só as palavras eternizam aquilo que, muitas vezes, não há tempo para fazer chegar de outro modo. 
Constatei, ao longo do tempo, que tenho a sorte de possuir na minha vida pessoas que são simplesmente únicas, pessoas insubstituíveis, maravilhosamente marcantes e eternas (mesmo que não seja em presença física)! Refiro-me a ti,"meu parvo preferido", às amigas e quase irmãs (são-o de coração!) TM e RE e a mais um ou outro amigo/a que fecha o rol de uma mão bem cheia de Pessoas Especiais para mim...
As pessoas mais especiais, mais importantes e mais "tudo" para mim surgiram assim "do nada", quando eu menos previa, sem dar por isso já estavam e, aos poucos, foram conquistado não só um lugar devagarinho, mas toda uma importância ímpar na minha vida. Essas pessoas (engraçado!) foram ficando comigo de forma simples e discreta, não vieram abanar e revolucionar, não se tornaram "unha com carne" de uma só vez, não marcam presença sempre e a todo o momento, não preencheram dias e dias comigo e, sobretudo, só comigo! Não ligam a toda a hora, não enviam dezenas de mensagens diárias (embora às vezes aconteça!), não estão só para ti! Essas pessoas simplesmente estão e são. 
Já o disse por aqui um milhão de vezes mas se há coisa que dou muito valor é mesmo à amizade. E, se há algo que nunca esqueço são os verdadeiros amigos. Independentemente do lugar, tempo ou espaço que ocupam ou ocuparam na minha vida, um verdadeiro A-M-I-G-O é para sempre! Não há distância, tempo ou espaço que separe! Por isso, e tendo em conta a dimensão de certas amizades na minha vida, às vezes sinto-me a pessoa mais feliz do mundo. Que bom que é ter a Nossa Amizade!
A Ti, escrevo-te, de novo, para reforçar que não serão as circunstâncias forçadas de duas vidas que dadas todas as adversidades não podem "estar juntas" que te apagam do meu coração, da minha história de vida e do meu viver... Podes até desaparecer, mas as marcas deixadas essas ficam para sempre... Simplesmente por que sim. Porque só nós dois sabemos bem a nossa história. E porque essa é a história da nossa amizade! 
Se no inicio eu não sabia que por ti e contigo iria viver tanta coisa, conhecer tanto, partilhar as nossas vidas límpidas, alterar conceitos, pensamentos, valores, modos agir e tanto mais que nem sei... Hoje e agora mais do que nunca sei que, passados treze ou catorze anos (quantos são mesmo?) tinha que ser! A minha vida não seria tão sorridente se não existisses! Só tu consegues domar a tristeza, a carência e cansaço e sobretudo fazer-me sorrir tolamente. O tempo que partilhámos foi e será sempre maioritariamente positivo e, apesar da nossa história não ser cor-de-rosa, sei que não foi em vão que nos conhecemos. E que todas as coisas acontecem por uma razão... Acredito que há sentimentos que só contigo fazia sentido serem vividos numa primeira vez, que só tu me podias ter dado a conhecer certas coisas, que "deixar de pensar" para simplesmente viver é algo que só faz sentido a teu lado e que só contigo posso ser louca e arriscar coisas que, até te conhecer, nunca me passariam pela cabeça. Só tu e ponto. Mas tudo isto pode ser triste? Não. Porque entre amigos é assim: as coisas boas superam as menos boas, as alegrias consolam as dores e tudo o mais que não compreendemos guardamos no local onde a nossa amizade não termina: no infinito do bom que é "estarmos juntos"! E depois? Depois, logo veremos... um dia... quem sabe...
Há coisas que não necessitam de ser escritas: Tu és uma pessoa especial! E, nestes anos todos (que não sei precisar!), posso ter perdido oportunidades, não te ter dado o devido valor ou espaço, posso ter dito e feito coisas menos boas e até ter-te magoado... Mas reconheço, com a transparência com que sempre me viste que, és mesmo muito importante, especial e único. De um modo, ou de outro és simplesmente, o amigo sempre presente, que me ouve e abraça nos momentos em que preciso... 
Recordarei sempre em mim um número incontável de conversas, murmúrios "intimamente partilhadas em jeito de segredo", tantas e tantas coisas que ficam só entre nós dois, coisas próprias de uma amizade única, só nossa e para lá de impossível de se repetir... Recordarei não só conversas mas tudo o mais que conseguimos partilhar: os segredos, os momentos que são só nossos, a amizade inimaginável, as noites perdidas em busca do caminho certo para o mesmo restaurante de sempre, os dias de aniversário que não foram partilhados, a inquietude de mensagens trocadas, as apostas e as muitas dívidas (as saldadas, as perdoadas e até as esquecidas...), os encontros e desencontros numa impossibilidade que me consome por não haver tempo que baste para esta nossa amizade...  
Recordo-te muitas vezes (tal como acontece com todos aqueles amigos e amigas que amo de coração) e, quando a distância aumenta e a saudade dilacera o peito fica a certeza que o tempo passado juntos foi e é sempre muito bom. E que, na próxima vez, assim será...  
Talvez por não estar muito habituada, não imaginei nunca que a minha vida pudesse ser preenchida por amizades que se eternizam no tempo... Tu, sem qualquer dúvida, és uma dessas amizades, um Amigo que foi permanecendo ao longo de tanto tempo e que hoje não creio que possa sumir da minha vida... Não me parece fazer sentido. Tu estás e vais estar sempre... Até quando permanecerás do mesmo modo que estás hoje? Não sei, logo veremos... um dia... quem sabe...
Tu, conheces-me bem, quase em exclusivo, gostas do que escrevo e do que sou (mesmo carregadinha de defeitos!), tens a sorte - ou talvez o azar! -  de me conhecer para além daquilo que eu mostro aos outros, de saberes o que sinto, o que me agrada, o que me afeta e desarma. Consegues fazer-me sorrir, ficar furiosa, zangada... Mas nunca ao ponto de interferir com o que sinto em relação a ti. Até nos "nossos piores erros" sabemos sempre como fazer para que o outro possa levar com o impacto da menor forma possível... E por isso, por aquilo que és, pelo que somos juntos, pela amizade e por tudo: Obrigada!!! Já alguma vez te disse que és um parvo? O meu parvo preferido???
Ter-te como amigo é o maior e mais verdadeiro elogio que posso fazer à amizade! 
Mas, poderia fazê-lo com qualquer uma das outras pessoas que referi em cima? Sim. Claro que podia! As palavras, adaptando os sentimentos, as memórias e as histórias adaptam-se também a Elas mas, hoje quis voltar a falar de ti! Faço-o pela 3.ª vez por aqui, faço-o em jeito de agradecimento e elogio àquela que é das minhas mais preciosas amizades!