quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Obrigada pelas palavras e momentos!

Palavras fortes que não podiam ser ditas e que não deviam ser sentidas… Outras tantas ditas sem que possamos materializar ou deixar florir… Palavras que ficam para sempre!

Palavras que ecoam na nossa cabeça, que retinam nos nossos ouvidos e que guardamos no nosso coração como se de um tesouro único se tratasse… Porque o são de facto!

Palavras guardadas com muito amor, ternura e medo… Palavras quase sempre, ditas em sussurros que nos tocam para além do coração e que não nos deixam esquecer! Mas serão meramente palavras?

São também momentos únicos… Momentos, que a vida nos oferece como um doce amargo, que nos sabe tão bem quanto mal nos faz!

São únicas, irrepetíveis e inigualáveis as palavras e momentos que compartilho só contigo!

Humildemente de coração te agradeço por existires, por teres os teus olhos, por veres em mim apenas o que é bom, por estares sempre pronto para me abraçar, por seres o meu melhor amigo, por nunca me desagradares, pela sinceridade com que me fazes sofrer e pela certeza que deixas gravada na minha vida: És especial!

domingo, 19 de fevereiro de 2012

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

A necessitar de um abraço :)


Uma avó conta que certo dia a filha lhe telefonou do Hospital, pois a neta, de apenas seis anos, tinha caído de um baloiço no pátio da escola e tinha-se ferido gravemente na boca. A avó foi buscar as irmãs da menina à escola e, embora tenha tido uma tarde muito agitada, estava muito tensa, cuidando das crianças, enquanto aguardava que a filha retornasse com a menina.

Quando finalmente chegaram, as irmãs mais pequenas correram para os braços da mãe. A menina entrou silenciosa na casa e foi se sentar na grande poltrona da sala de estar. O ferimento era tão grave que o médico havia suturado a boca da menina com oito pontos internos e seis externos. O rosto da menina estava inchado, a fisionomia estava modificada e os fios dos cabelos compridos estavam colados com sangue seco.

A menina parecia frágil e desamparada... A avó ao olhar para ela, aproximou dela com o máximo cuidado. Conhecia a neta, sempre tímida e reservada. "Você quer alguma coisa, minha querida?", perguntou. Os olhos da menina fitaram a avó firmemente e ela respondeu: "quero um abraço!"

À semelhança da menina magoada, muitas vezes desejamos que alguém nos tome nos braços e nos aninhe, de forma protetora. Quando o coração está dilacerado pela injustiça, quando a alma está cheia de curativos para disfarçar outras lesões, gostaríamos apenas que alguém nos confortasse com um abraço generoso.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Mais além... Lindo!!!



Mais além, dos meus medos mais além,
da minha insegurança,
quero dar-Te uma resposta.
Aqui estou, p’ra fazer Tua vontade
P’ra que o meu amor seja dizer-Te SIM, até ao fim...

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Neste dia que todos possamos ter esta imagem como exemplo...

Muita ternura, muita amizade, muita partilha... e uma visão da vida de que todos devemos partilhar aquilo que de mais precioso temos: o AMOR!

O quanto precisam de nós… E o quanto o nosso dia pode mudar!

Ontem, saborosa e agradavelmente experimentei, mais uma vez, o quanto os outros precisam de nós e o quanto o nosso dia pode mudar ao entregarmos de forma gratuita algo tão simples como um sorriso, um carinho, um olhar, uma conversa, uma gargalhada ou uma simples brincadeira…
Foi sem dúvida a escolha certa! E, embora saiba que não vão ser todos os finais de tarde assim: animados e com tudo a correr bem… Sabe sempre muito bem quando nós próprios nos sentimos melhor não tendo, aparentemente, feito nada.
A entrega aos outros de coração é algo que quanto mais damos, mais queremos dar… É algo transformador! E ontem pode viver isso mesmo, um dia chato e em baixo transformou-se em pouco mais de 2 horas, num dia CHEIO de sentido… É maravilhoso o quanto o nosso dia pode mudar se, de coração, estivermos com os que de nós precisam!

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

“Se Deus te faz sofrer tanto é porque tem destinado para ti grandes obras” :)


Aparentemente é muito mais difícil largar tudo quando todas as coisas correm bem, quando a vida nos sorri e tudo é bom demais! Contudo, comigo acontece o oposto!
São nos momentos menos bons, nos mais difíceis de aceitar, nos mais duros e injustos que desejo ardentemente que acabe este modo de vida! No entanto, é tão mais difícil! E o medo é tão grande… Serão as razões deste desejo as correctas? Ou estarei apenas com vontade de largar tudo porque já não suporto o cansaço, os erros cometidos, as coisas não assumidas, os olhares, as palavras, as pessoas, as pressões…?

"Saudades de ser criança: correr livremente, não contabilizar o tempo e acreditar que a vida não é mais que um conto de fadas..."