quarta-feira, 29 de agosto de 2012

"Ouvir, Falar, Amar" - Eu vou!

Laurinda Alves apresenta o seu último livro no próximo dia 22 de Setembro, pelas 15h30, na Casa de Cultura D. Pedro V, em Mafra. E eu vou lé estar!

Sobre o Livro

Uma grande entrevista serve de fio condutor a este livro que dá a conhecer melhor aos portugueses Alberto de Brito, padre jesuíta. As matérias que ensina nos seus cursos (que administra em Bruxelas) são notáveis pelo sentido profundo, pelo não-moralismo, por aquilo que desocultam em nós e pela luz que trazem.

Das grandes questões da educação ao papel dos sentimentos («o amor é uma decisão», diz Pe. Alberto de Brito), aos problemas religiosos, um diálogo entre quem sabe perguntar e quem sabe ouvir. Laurinda Alves apresenta-se aqui no seu melhor no papel de grande jornalista e entrevistadora.

«Pelos frutos se conhecem as árvores.» Eis um dos provérbios favoritos de Pe. Alberto Brito, Os frutos e as árvores são, porventura, um dos critérios mais selectivos em matéria de comunicação e aquilo que permite medir e afinar a qualidade das relações. A metáfora serve para pais e filhos, professores e alunos, chefes e subordinados, em todos os universos pessoais, familiares e profissionais que habitamos e onde temos um papel a desempenhar. Manter o ar limpo nas relações é essencial, e importa aprender a calibrar a luz e a sombra, bem como a distância e a proximidade necessárias para colher bons frutos. O nosso ecossistema é complexo e é preciso tratá-lo com carinho e respeito, como diz o Pe. Alberto Brito nesta série de conversas sobre comunicação e relações humanas.

Sobre a Laurinda Alves

Jornalista e autora. Na imprensa é grande entrevistadora e cronista diária no jornal i durante um ano; fundadora da revista «XIS»; directora da revista Pais & Filhos; colunista no Independente e no Público, com crónica semanal primeiro na revista «Pública» e depois no jornal. Na rádio: colaboradora da TSF e da Rádio Renascença. Na televisão: Portugueses sem Fronteiras marca o seu regresso à reportagem na RTP; concebeu e apresentou os programas como Verdes Anos e Primeiros Anos na SIC, e Encontro Marcado na SIC Mulher.
Distinções: Prémio do Clube de Jornalistas, pelo trabalho de investigação sobre a morte do general Humberto Delgado; grau de Comendador da Ordem do Mérito pelo debate e defesa das questões educativas. Livros publicados na Oficina do Livro: XIS Ideias para Pensar, Um Dia Atrás do Outro, Ideias XIS, Atitude XIS e Coisas da Vida.

Sobre o Padre Alberto Brito

Licenciado em Humanidades e Filosofia pela Universidade Católica de Braga. Licenciado em Teologia pela Universidade Gregoriana de Roma. Especializado em Relações Humanas e  Comunicação Interpessoal, dá cursos há mais de 20 anos e é uma referência internacional nestas matérias. Trabalhou em Coimbra, Lisboa, Roma e Bruxelas. Assistente Mundial das Comunidades de Vida Cristã, visitou 50 países nos últimos seis anos. É fluente em seis línguas. Actual Director Pastoral do «Foyer Catholique Européen», reside em Bruxelas, como elemento da missão da Companhia de Jesus junto das Instituições Europeias.

As respostas conseguidas...

Após o regresso destas férias e, sobretudo de Felgueiras, paro um pouco para olhar para tudo o que me aconteceu nesses dias (mágicos) e, com um misto de saudade, felicidade e renovação, constacto que este encontro da JMV era tudo o que eu precisava neste preciso momento! E agradeço muito o convite que me “amarrou” a este encontro! (sem ele provavelmente teria desistido de ir.)
Foram seis dias muito intensos, muito exaustivos, muito cheios de trabalho e responsabilidade mas também muito bem vividos. Aliás, arrisco-me a dizer, que foram dos melhores dias que vivi enquanto JMV.
Nestes dias, pude conhecer melhor algumas pessoas e mudar (para melhor) a minha opinião sobre elas, rever amigos, aprofundar relações, fazer novos amigos, dar um pouquinho de mim e receber muito (mesmo muito e muito mais do que eu esperava) em troca. Deu ainda para perceber o que é verdadeiramente a JMV, o quão grandioso é puder ser membro desta fascinante família e o quanto eu me identifico com o movimento e todo o seu estilo de vida. Tive ainda a oportunidade de me (re)encontrar comigo mesma e com Deus, de receber o Seu perdão e a Sua paz e de tranquilamente encontrar as respostas (e forças) necessárias para tomar grandes decisões e decidir-me a começar de novo. Sim, vou começar de novo! E, começarei enfrentando com um sorriso todas as dificuldades que surjam neste recomeço.
Hoje, mais do que em qualquer outro momento, percebo o quanto significa que "é preciso morrer para nascer de novo" e o quanto é importante e necessário que isso aconteça na vida de cada um de nós. Aconteceu comigo! E espero que aconteça com outros (enquanto grupo e pessoas)… Morri para as “coisas do mundo” para retomar o caminho certo, o único caminho que me leva à Felicidade, aquele que Vicente e Maria me indicam a cada passo...
Habitualmente, gosto de demorar algum tempo a refletir sobre um encontro. Contudo, neste momento quero já salientar as maravilhas que o Senhor continua a fazer na minha vida e a forma como Ele me ajuda a desenhar e escrever no livro da vida. Que fantástica que é a Sua vontade para mim! Hoje leio a minha vida, como quem lê uma biografia inacabada e vejo o quanto sou feliz! E a agradeço a Deus tudo o que me possibilita viver colocando pessoas tão especiais na minha vida…
Para já, posso apenas revelar que: 1.º venho deste encontro cheia de ideias (na cabeça, na mala e no coração), ideias que aos poucos quero introduzir na minha vida e nas vidas que me rodeiam; 2.º vou começar (finalmente) a escrever “um livro”; 3.º com as decisões tomadas e assentes em breve vão começar a surgir (e a serem visíveis) grandes mudanças na minha vida… Esperem para ver!
Para finalizar, tanto mas tanto se poderia dizer sobre este encontro… Mas as palavras são poucas para cada momento, sorriso, abraço, olhar, gesto, lágrimas e gargalhas compartilhadas no XVIII Encontro Nacional da JMV em Portugal.


Adorei! Obrigada a todos! Todos foram muito importantes... "felicidade, felicidade..."

Eu sei


XVIII Encontro Nacional da JMV em Lagares - Felgueiras
23 Ago 2012, Abertura da Celebração Mariana
Ouvir tudo aquilo que preciva de ouvir... Sentir que o momento era para mim... Acho que não podia ter sido melhor! :)


terça-feira, 28 de agosto de 2012

Objectivos para breve (já alcançados!):

1.º - Chorar
Já não o faço à algum tempo e estou mesmo a precisar de libertar as toxinas do meu corpo! Alcançado! É muito bom quando se chora pelos motivos certos... Obrigado a todos os que me serviram de ombro amigo!

2.º - Estar sempre ocupada
Algo que não me é difícil! A ocupação ajuda-me a esquecer... E com esta ocupação, agora que se aproxima "o tempo livre" no topo da lista está o regresso à actividade física! É já amanhã que tenho encontro marcado com uma corridinha e o ginásio não pode ser mais adiado. Alcançado! Embora não tanta como desejava...

3.º - Passar tempo com os amigos
Ora aí está o que me faz mesmo muita falta. Sinto tanto a falta de estar algum tempo com qualidade junto daqueles que de facto são meus Amigos. Junto daqueles que para além do certo ou errado, me apoiam sempre! Nós próximos tempos, lá vou eu até Madrid, Coimbra e Alentejo... Alcançado! Falta-me a ida a Coimbra e o Alentejo, mas estive, estou e tenho estado sempre com muitos e bons amigos.

4.º - Evitar certa(s) pessoa(s)
Nada melhor para esquecer! A minha mãe diz inúmeras vezes "olhos que não vêem, coração que não sente!" :) Isto demora o seu tempo, mas estou a caminhar...

5.º - Conhecer pessoas e lugares novos
E eu até nem gosto nada!!! :) Este nunca se pode dar como totalmente alcançado...

6.º - Evitar as coisas ditas "românticas"
Não há nada que nos ponha mais em baixo do que as lamechas cenas românticas de filmes e afins! Alcançado!
7.º - Cuidar do EU
Quando mimamos um pouco o nosso corpo, todo o nosso bem estar geral, melhora significativamente. E uma boa ida ao cabeleireiro, uma massagem ou um tratamento de beleza são sempre grandes aliados de qualquer mulher que necessite. Nunca nos deixam mal! Alcançado! Acho que fiz um pouco de tudo :) 

8.º - Aceitar todo o processo
É importante ir rezando, agradecendo e pedindo por cada objectivo alcançado. E aceitar que as coisas demoram o seu tempo! Alcançado! Tenho rezado e ganho uma nova força para todo o processo!

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Encontrei por acaso esta música e adorei :)


Não é para ninguém em especial! É para todos os que são especiais da minha vida... Principalmente para aqueles que já não estão perto fisicamente, mas em quem penso muitas vezes!

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

A imagem perfeita!


Ambos temos asas, ambos sabemos voar, ambos sabemos como é bom voar... Mas, ambos não queremos mudar os nossos voos, não queremos (mais) andar por ai a esvoassar, não queremos arriscar novos voos... E, sobretudo, não queremos/podemos (mais) voar juntos... Por isso, deixamo-nos ficar assim: frente a frente.
Cada um de nós fica no seu espaço tentanto tocar o espaço do outro... Cada um de nós não pode sair da sua flor... E assim, estamos tão perto e tão longe!

Se me saísse o Euromilhões?!

Claro que já todos pensaram nesta hipótese! E já todos sonharam com isso e com o que fazer depois ao dinheirinho. Pois bem, “se” amanhã me saísse o Euromilhões eu, no mínimo, faria: (não está necessariamente por ordem)
 - Com que a vida de alguns familiares fosse mais desafogada;
 - Abriria o “espaço” dos meus sonhos e daria mais vida à Ericeira;
 - Partiria em missão para África (e não só) durante alguns meses;
 - Comprava uns quantos sapatinhos novos;
 - Mudava e remodelava umas tantas coisas lá em casa;
 - Ia viajar e conhecer um monte de lugares (cá dentro, Europa fora e mais além);
 - Comprava uma casa (para a minha mãe) no Alentejo;
 - Montava um “Gatil” lá em casa;
 - Ajudava umas tantas pessoas e instituições, principalmente aquelas que vivem no meu coração e que não ajudo mais porque não posso;
 - Levava todas “as crianças da minha vida” à Disney;
 - Dedicava-me a fazer apenas aquilo que gosto, sem ter que cumprir horários e/ou aturar gente chata!

Não que eu ache o dinheiro traga alguma felicidade! Mas, com toda a certeza, que me podia ajudar nestas coisinhas a semear mais alguma felicidade... J

domingo, 5 de agosto de 2012

Uma vida demais...

Tenho:
 - problemas demais...
 - stress demais...
 - trabalho demais...
 - chatices demais...
 - responsabilidades demais...
 - sobrinhos demais...
 - amigos demais...
 - objectivos demais...
 - sonhos demais...
 - surpresas demais...
 - forças demais...
 - apoios demais...
 - uma mãe demais...
 - um Deus que me ama demais...
 E tantas outras coisas... boas demais!!!

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

"Há sonhos que morrem cedo demais. Se beberes não conduzas."



Ando na estrada. Sou jovem. Gosto de velocidade (embora com limites). Raramentemente bebo, mas não dispenso um bom copo de sangria, um licor beirão, uma ginjinha ou uma caipirinha... Tenho consciência, gosto da vida e dos que de mim gostam. Tenho sonhos, muitos sonhos: uns para breve, uns para o futuro, uns mais fáceis que outros, mais imediatos ou mais impossíveis. Mas tenho vontade de os viver a todos! São histórias como a do Salvador (e infelizmente existem muitas) que me fazem parar e pensar no puder que tenho nas mãos quando me faço à estrada!
Pessoalmente, acho, que nunca pegarei num carro sem estar em condições para o fazer. No entanto sei que nem sempre se pensa assim. Por isso ainda bem que há coragem para se fazerem campanhas como estas!

Adoro o Verão #4

Com as festas mais ou menos tradicionais, as feiras tradicionais, medievais e de época e claro a boa da Ginjinha em copo de chocolate.... 

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Com mais um ano de vida! Parabéns a mim :)

A crença de ser a juventude a época mais feliz da vida é baseada numa falácia. A pessoa mais feliz é aquela que  tem os pensamentos mais interessantes. Assim, podemos tornarmo-nos mais felizes na medida em que nos tornamos mais velhos!
Montesquieu