sábado, 6 de outubro de 2012

Parabéns Mãe!!!

Nem sempre agradeço convenientemente a família com que Deus me presenteou, mas sou muito grata pela família que tenho!
Cresci numa família nada perfeita, mas onde muito pouco me faltou...
A minha infância não foi um conto de fadas, foi apenas a minha história simples.
Os meus pais sempre trabalharam para que pudéssemos (eu e os meus três irmãos) ter o mais importante: comida, roupa e saúde! Os luxos não eram grandes, mas dava para que os anos e o natal fossem de facto uma festa. Que saudades!!!
Também nunca nos faltou o mais importante: a transmissão de valores, a educação, o respeito e a obediência sempre foram regra lá em casa. E os meu pais eram os primeiros a dar o exemplo!
Hoje, o motor desta família - a minha MÃE! - completa 69 anos! E é a ela que dedico o meu post de hoje...


A minha Mãe sempre foi, e ainda é, uma grande mulher e uma verdadeira mãe, com um M dos maiores que há no mundo. Ela ensinou-me a ser tudo o que sou hoje (e não consigo conter as emoções ao escrever isto! - uma lágrima...)!
Para a minha Mãe a vida nunca foi "uma coisa facilitada": teve sozinha (há mais de 40 anos atrás) um casal de gémeos; trabalhou muito; um dos filhos fica doente demasiado cedo e a vida torna-se ainda mais complicada; a família pouco ou nada A ajuda; conheceu o meu pai (que era um bom homem, mas que tinha o seu feitio!); trabalhou muito toda a vida; constituiu uma família; construiu e governou uma casa à custa de muito suor e lágrimas; criou aquilo a que se chama uma verdadeira família!
Infelizmente, um acidente em 1999 roubou-lhe a saúde e, por consequência, o marido; os filhos mais velhos deram-lhe sempre mais trabalho (a mim ela nunca me confidencia o trabalho - e as dores de cabeça - que lhe dou!). A entrada no novo milénio "oferece-lhe" assim uma vida em nada mais fácil que até aqui!
Os filhos (mais velhos) libertam-se das asas da "mãe galinha" e saem de casa (mas estão sempre por perto); a saúde vai sendo cada vez mais frágil; surgem os tão desejados netos: um, dois, três, quatro! (costumamos brincar que ela pediu tanto a Deus que Ele a ouviu!) Mas, uma das noras rouba-lhe sono, anos de vida e não só... e filho acaba por ficar (com muita luta da minha mãezinha) e após um complicado divorcio, com a guarda de três crianças muito pequenas. A luta desta mulher fantástica, que em boa hora Deus fez MINHA MÃE, torna-se ainda maior pois a vida do meu irmão era (e ainda é um pouco) muito débil. Contudo, a garra de uma grande lutadora (apesar da pouca saúde) mantém-se!
Hoje, Ela gere a nossa casa e a do meu irmão e ainda nos orienta a todos!
Nunca dirige um não aos filhos (algo que fez a vida toda), ajuda-nos no que pode e no que não pode e faz de tudo pelos filhos e netos...

Nós duas sempre fomos muito próximas, sempre pude contar com Ela para tudo e sempre tive nela uma amiga e companheira insubstituível. Apesar da sua idade sempre me acompanhou em tudo e sempre lhe contei tudo da minha vida, compartilhando segredos e vivências!
A minhã Mãe está sempre disposta a ajudar o próximo, a acolher a todos de coração e nunca se nega a nada! Adora ter a casa cheia, seja dos filhos, nora, netos, amigos ou amigos dos filhos... Há sempre espaço (em casa e no seu coração) para mais um. E, o mais bonito de tudo, é que não sente rancor da vida, apesar desta não lhe ter sido facil!
A minha Mãe é uma mulher de armas e de muita oração! É um ser maravilhoso, aliás dos melhores que o mundo tem, um ser que Deus colocou na minha vida como uma pedra preciosa! (e mais uma lágrima...)
Parabéns Mãe! (e para o ano terás 70 rosas!)

1 comentário: