sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Ai como eu queria ter muito, muito dinheiro!!!

Acho o dinheiro algo tão... sem palavras. Mas, neste momento e perante isto, gostava de ter muito, muito dinheiro, não só para puder ajudar a Genny, uma mãe com uma dor horrível, e uma tão frágil criança... Mas para puder ajudar um montão de crianças por este mundo fora...


Partilhem!!! Quem sabe não há quem possa ajudar?

Do que eu gosto?!

Começar o dia a dizer o que não gosto de algo, não é obrigatoriamente sinal de um dia mau! Até porque há tanto que eu gosto e que com grande facilidade me alegra o dia... Aparentemente pode não parecer, mas sou uma pessoa de agrado muito fácil! 
E do quê que eu mais gosto? De dar presentes, isto sem dúvida!!!
Mas depois, tal como a maioria dos comuns mortais, gosto de ser mimada, gosto de coisas simples, gosto de boas notícias, gosto de sorrisos sinceros, de mimos e afectos, de beijos e carícias, de colo e de abraços, gosto mmmmmmmmmmmmmmuuuuuuuuuuuito de abraços, gosto de flores, gosto de conversas longas sobre tudo e sobre nada, gosto de um bom chá, gosto de chocolate e de chocolate quente, gosto de vinho verde, gosto da comida da minha mãe, de comida variada, requintada e "bem acompanhada" até gosto de qualquer coisita que se coma, gosto de surpresas, presentes inesperados, coisas pequeninas mas sinceras, gosto do sossego e da confusão quando tenho com quem a partilhar, gosto dos meus amigos, gosto de crianças, gosto de coisas de "bom gosto", gosto do mar, gosto de animais e sobretudo gatos, gosto que saibam ler-me nas entre-linhas, gosto de elogios e de elogiar, gosto de mensagens, post-its, cartas e recados escritos com o mínimo de sentido, gosto de escrever (nota-se, não?), gosto de ler, gosto (demais!) de dormir, gosto de lençóis lavados, gosto de me levantar tarde e de preguiçar na cama, gosto de recordar o passado, viver o presente e planear o futuro (cliché!), gosto do canto dos passaros, do cheio do mar e do perfume da natureza, gosto de água, gosto de terra, gosto da noite, da sua imensidão, do escuro e das luzes, gosto dos que gostam de mim, gosto da minha família, gosto de me preocupar com os outros, gosto de me empenhar, gosto de me sentir tranquila, gosto de paz, gosto de um telefonema inesperado, gosto de ouvir certas vozes do outro lado da chamada, gosto de trabalhar com as mãos, de me sujar e de andar limpinha, gosto da cidade e gosto do campo, gosto de cinema, gosto de jogos, gosto de passeios, gosto de sapatos e de brincos, gosto de compras, de sair no seu geral e de ficar em casa a jiboiar, gosto do por-do-sol, gosto da chuva e dos primeiros raios de sol, gosto dos dias compridos, gosto da minha Ericeira, de Sintra e do Porto, gosto do sofá da sala, gosto de viajar, gosto de estar sempre ocupada, gosto do que faço em prol dos outros, gosto de conduzir e de me deixar conduzir... 




Gosto de um infindável número de coisas que me colocam um sorriso no rosto e um suspiro de "gratidão" ao findar do dia!

Não gosto! #17

De mentiras!!!


Odeio mentiras, odeio que me mintam e custa-me horrores quando tenho que usar a mentira... Acho que é do pior que há no mundo. A mentira fere, estraga, corta, mata, amizades, amores, famílias e vidas completas!
Não gosto que me mintam, principalmente em pequenas coisas, pois sinto sempre que se o fazem nas pequenas, o que não farão nas grandes coisas da vida!

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Os 30 anos e os sonhos

Aqui há uns dias falávamos de sonhos, eu e um grupo recente de amigos, víamos o que era o sonho, os nossos sonhos, os meus sonhos... Naquela noite, confesso, que queria ouvir falar de tudo menos de sonhos. Os meus sonhos futuros estavam (achava eu!) todos na lama e perante aquilo fiquei a matutar sobre a inutilidade dos meus sonhos, perante alguns dos outros. Vá lá que tive a sorte de ter um amigo na sala que compreendeu o que eu não consegui explicar... Vá lá que não me depremí ainda mais! Vá lá que ainda não sou única à face da terra a não ter sonhos futuros extra-empreendedores!
Depois, já mais tarde reproduzi a conversa, acrescentando um ou dois dos meus sonhos "mais concretos" e eis que levo com um valente "Vê lá que já vais tarde! Se queres isso tudo já perdeste quanto tempo?". Toma!!! E embrulha!!! Sim, porque isto de ter 30 anos e ainda crer realizar sonhos é completamente descabido! E, ressalvo, que não são (ou devo escrever "eram"?) sonhos que demorem anos e anos a concretizar... São apenas sonhos "pequenos e simples" que habitam no meu íntimo e que, é em alturas como a que vivo neste momento, que vêm ao de cima e me empurram um bocadinho mais para a frente. Mas com 30 anos, passamos a ser despromovidos de sonhar???


O meu maior sonho é, sem dúvida, a felicidade. E, talvez por já ter trinta anos (uma vantagem! boa?), sei que essa felicidade é tão mais completa quanto  mais me entregar aos outros! Outro sonho, esse talvez impossível e excêntrico, era um dia ter muito dinheiro para puder ajudar muitos a sonhar... O dinheiro não trás felicidade, mas ajuda a materializar alguns projectos, a construir pontes, a chegar onde não consigo, a assumir e ser missão! Depois tenho mais sonhos, quero deixar um pouco de mim nas pessoas que me são especiais, quero um dia ser recordada pelos bons momentos, ensinamentos e pelas acções, quero sempre ser capaz de fazer aquilo a que me proponho e quero viver sempre sabendo que não sou feliz à custa da infelicidade dos outros... Ah e também tenho outros sonhos mais palpáveis, mais materiais mas esses pouco importam perante estes, verdadeiramente importantes!
Agora serão os trinta anos um impedimento para sonhar (e realizar!) tudo isto?



Um desabafo (feliz!)

 O tempo passa a correr... E tu, já partiste há três semanas??? Parece que foi ontem! "Querido amigo", vou para sempre lembrar todos os momentos, prometo! As coisas boas ficam para sempre, a tua marca ficou cá (e de um modo que eu não imaginava possível, só mesmo quando perdi é que percebi!). E, embora tudo tenha sido tão brusco, não posso deixar de ficar agradecida pelos bons momentos. A recordação será eterna!
Provavelmente vou ficar triste sempre que me lembrar, mas isso significará apenas que tive a hipótese de viver...

E 3 semanas já passaram...

E acho que esta música foi feita para mim!!!



"Tu És Mais Forte!"

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Qual o modo mais original para dar uma receita?

Esta!!! Vá modesta a parte, acho que ficou muito giro...
Ofereci a receita das "melhores broas do mundo*" de uma forma simples, original
e o resultado foi este. 
 


* Convém dizer o mais importante, é que as melhores broas do mundo são as da minha mãe!!!

Estarei doente ou curada de vez?!


Hoje, passado tão pouco tempo, voltei a sorrir! E a sorrir com vontade!!!
A vida vai dar certo e de nada vale ser negativa... Fecha-se uma porta?
Abrem-se mil janelas!!!

sábado, 25 de outubro de 2014

Quem conta um conto acrescenta-lhe um ponto

"Conta-se que um fazendeiro, que lutava com muitas dificuldades, possuía alguns cavalos para ajudar no trabalho de sua fazenda.
Um dia, o capataz trouxe-lhe a notícia que um de seus cavalos havia caído num velho poço abandonado.
O buraco era muito fundo e seria difícil tirar o animal de lá. O fazendeiro avaliou a situação e certificou-se de que o cavalo estava vivo. Mas pela dificuldade e o alto custo para retirá-lo do fundo do poço, decidiu que não valia a pena investir no resgate.
Chamou o capataz e ordenou que sacrificasse o animal soterrando-o ali mesmo. O capataz chamou alguns empregados e orientou-os para que jogassem terra sobre o cavalo até que o encobrissem totalmente e o poço não oferecesse mais perigo aos outros animais. No entanto, na medida em que a terra caía sobre seu dorso, o cavalo se sacudia e a derrubava no chão e pisava sobre ela. Logo os homens perceberam que o animal não se deixava soterrar, mas, ao contrário, estava subindo à medida que a terra caía, até que, finalmente, conseguiu sair do poço."
 Autor Desconhecido

(pelo menos para mim)

Eu sou o cavalo! (Quer dizer, sou da família desse bicho mas o nome é feio para colocar aqui no feminino!)
Eu caí num poço muito semelhante a este!
E eu sei que há quem tenha desistido de mim, mas o que essas pessoas não sabem é que fui eu que desisti delas! Por isso me aguardem porque quando eu vier ao de cima do poço vou estar mais forte do que nunca e vou mostrar que, de facto a vida é mais do que um 100 número de coisas más!
Mas, o eu que queria mesmo com isto tudo dizer, é que estou a iniciar uma nova fase. Melhor? Mais Feliz? Não sei! Sei que estou em mudanças, estou a recuperar de mais um "tremor de terra" na minha vida. Mas nada que se compare ao tamanho da minha fé e da minha força. Por isso "Eu sou mais forte! Eu sou capaz! E no fim, vou vencer!". Este será o meu lema para quando as replicas surgirem...
Este conto é um grande exemplo. O cavalo lutou pela vida, achou uma maneira, ou melhor, a única maneira que ele tinha de conseguir sair do poço e saiu. Quantas vezes na vida temos uma única oportunidade e não fazemos uso dela? Quantas vezes deixamos pessoas decidir por nós? Se o cavalo não pisasse sobre a terra estaria morto, saber dar a volta por cima é, nada mais nada menos, do que achar a solução. 
E esta fase, este momento que hoje é menos bom para mim, poderá ser isso mesmo. A minha última oportunidade. Vou dar-lhe uso! Não vou deixar que outros decidam a minha felicidade por mim!


sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Duas semanas depois...


Dei-te o Melhor de Mim

Calma!!! Não se fiem no título que este não é um post melodramático!!!



Não sei se alguma vez o disse por aqui mas ADORO cinema. Infelizmente, com os anos e devido a muitas "coisas" da vida, perdi alguns muitos bons filmes passados na grande e mágica tela de uma qualquer sala de cinema...
Se há uns dez, doze anos atrás, não passava mais de uma semana sem ir ao cinema, e se a minha média era de 2 a 3 filmes por semana, agora é uma vergonha referir o que quer que seja... E não há desculpas passíveis, mesmo a de que agora se pode ver um filme super recente no conforto do sofá de lá de casa, que comigo isso não pega. Eu gosto mesmo é de ir ver ai cinema! E é isso mesmo que tenciono fazer com este filme! Alguém alinha???

E depois há histórias assim...


Acho que é caso para dizer que vale a pena viver assim!

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Balanço de uma vida

Cai menina, levantei-me mulher.
O tempo passa, o relógio avança e as ideias começam a tomar o seu lugar. Hoje estou um pouco mais forte que ontem e sei que amanhã estarei um pouco mais.
Poderá ser mais difícil sorrir a partir de agora, mas o meu sorriso será mais sincero. Poderei demorar mais tempo a confiar nas pessoas, mas quando assim for será inabalável o meu voto de confiança. Quando a tempestade passar virá a bonança e aí serei escandalosamente feliz.

Do que o mundo precisa!


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Falando de amor

Só porque acordei com esta música na cabeça...


Chora flauta, chora pinho
Choro eu o teu cantor
Chora manso, bem baixinho
Nesse choro falando de amor....

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Estou Perdido(a)


"estou perdido não sei o caminho
e agora como vou voltar
ando tão esquecido
o mapa é tão comprido
não me consigo orientar

há quem nasça com outra atitude
pois para mim isto é natural
eu entendo seguir o meu rumo certinho
mas tudo me parece banal

estou perdido não sei o caminho
e agora como vou voltar
prometi a tanta gente que lá estava
e não tenho tempo de avisar

estou perdido não sei o caminho
e agora como vou voltar
prometi a tanta gente que lá estava
e não tenho tempo, vou falhar

às vezes tenho a sensação
de não ter mais nada para dizer
e se por um instante eu tiver razão
a verdade ninguém vai saber

porque vivo na minha esfera
e só assim consigo viver
faço malabarismos para me encontrar
mas no fundo quero-me perder

estou perdido não sei o caminho
mas agora não quero voltar
vou continuar o sonho neste sitio estranho
sem ter pressa de acordar

estou perdido não sei o caminho
mas agora não quero voltar
tenho luz à minha frente e
toda essa gente
que espera por mim pode aguardar

tenho luz à minha frente
e toda essa gente
que espera por mim pode aguardar

tenho luz à minha frente
e toda essa gente
que espera por mim pode aguardar"

Mas a Anem ainda não tem família?

Se as pessoas soubessem a raiva que me dá, quando me colocam esta pergunta, nunca a fariam!!!
Eu felizmente não sou orfã, tenho mãe, irmãos, sobrinhos, cunhada, tios, tias, primos, primas e muitos amigos - que também são família! E sempre foi assim!!! E eles são a minha família! Mas que raio é isso do "ainda não tem família"? Eu sempre tive família!!!
Lá porque ainda não tenho uma família "arranjada" por mim, com esposo e filhos, não tenho família? É isso que as pessoas acham?
Se é isso, não. Eu ainda não tenho essa família. E se nunca a vier a ter, isso significa o quê? Vou ser uma infeliz? É que sinceramente não há pachorra para certas pessoínhas!!!

quinta-feira, 16 de outubro de 2014

1 semana!

Faz hoje uma semana... 
Mais logo completa-se uma semana, daquele que foi o meu pior momento deste ano. E, é triste constatar que, infelizmente, ficou tanto por dizer, por partilhar, por brincar, por viver... 
Eu tinha sonhos, tinha planos, tinha coisas por fazer, por dizer... Mas não houve tempo!


Hoje vivo de memórias. Todas muito boas, todas felizes, todas cheias de cumplicidade, amizade, admiração, carinho e, talvez amor... OBRIGADA!

Amar é querer ver a outra pessoa feliz!

Há uns muitos anos atrás li, algures num livro do Nicholas Sparks, qualquer coisa mais ou menos assim "aprendi que amar não significa estar junto, mas sim querer ver a outra pessoa feliz, mesmo que isso custe a sua felicidade". Na altura era uma adolescente tola e achei isto tão bonito, tão altruísta, tão “eu quero ser sempre assim!”… Mas, depressa passei a ser egoísta (após o meu primeiro fracasso amoroso) e tudo o que era lindo deixou de fazer sentido... Depois, achei que já era mais madura, e fui-me domesticando a esta afirmação e passei à fase do “eu quero PENSAR assim” e, é claro que quando gostamos ou amamos alguém queremos, mesmo muito, que essa pessoa seja o mais feliz possível! Mas queremos também, e sobretudo, que essa felicidade passe também por nós! Esta era a minha fase até há algum tempo atrás…
Hoje, e talvez só agora, percebo o verdadeiro sentido desta afirmação, isto porque com o tempo eu aprendi que querer não é só achar lindo, não é só pensar, não é só domesticar a nossa mente às coisas. Aprender é um processo importante! E era o mais importante da afirmação! Tal como um bebe que aprende a andar, faz parte deste processo de aprendizagem cair, magoar-se, chorar, levantar-se, voltar a cair, ter retrocessos e avanços… Mas no dia em que o processo está concluído tudo é tão melhor!
Assim tem sido comigo. Felizmente já aprendi alguma coisa com a vida, aprendi a ter que me despedir – pelos mais variados motivos – das pessoas que amo, aprendi a amar os outros ao máximo, independentemente de ser ou não ressarcida, aprendi a querer a felicidade do outro, aprendi a aceitar que essa felicidade possa não ser a minha, aprendi a ser capaz de qualquer coisa para que ela aconteça, mesmo que isso possa significar abandonar uma felicidade que era justo que fosse minha, nossa... E hoje sei que querer, fazer e deixar que o outro seja feliz, são coisas tão destintas!
Felizmente também sei que, quando fazemos as coisas para que a felicidade do outro seja completa, as coisas à nossa volta também se tornam melhores, as coisas podem demorar, mas são-nos proveitosas, vêm ao nosso encontro e a nossa felicidade surge, ainda que seja devagarinho…

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Hoje o meu mundo tem uma nova cor

ROSA :)


#5 - Coisas que, por muito que tente, não consigo perceber...

As prioridades de algumas pessoas! 
Principalmente quando o trabalho vem sempre em primeiro lugar. Vamos lá analisar a frase que me encamita e me leva a estas palavras soltas:

"A minha prioridade sempre foi o trabalho, os filhos e só depois a casa."

Ora bem, o quê que está mal nesta frase?
O trabalho? Não!!! Os filhos. Ou melhor, os filhos depois do trabalho!
E não vale a pena argumentações em que se não trabalhares, como sustentas os filhos? Independentemente de tudo, os filhos deviam estar sempre em primeiro lugar, mesmo tendo que trabalhar (e muito!) para os puder sustentar e educar. 
Eu não tenho filhos, é verdade. E talvez por isso vejo as coisas desta forma, se os tivesse ou quando (e se) os tiver, sei que é isso mesmo que farei, eles virão sempre como a prioridade número um. Não há qualquer trabalho, remunerado ou não, que possa ser mais importante que os filhos! Bolas? O mundo encaneceu de vez?
Foi assim que me vi toda a minha vida, foi assim que me tornei gente, foi com este "acto de amor supremo" que cresci e me tornei na mulher que sou hoje. Tive a melhor professora neste campo: a minha mãe! Por isso, se algum dia a vida mo permitir, quero fazer o mesmo. E, ela matou-se a trabalhar para nos criar e dar o melhor aos quatro! Contudo, fomos e somos, sempre a sua prioridade!
E lamento mas não consigo, mesmo tentando, mesmo fazendo um enorme esforço, não consigo mesmo perceber quem faz a outra escolha, quem põe o que quer que seja à frente de um filho! Não consigo nem quero perceber! NADA prevalece perante um filho!


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Passa, mas passa logo... Passa rápido!


A observar o mundo à minha volta

Até há uns dias o que fazia do meu dia uma alegria, hoje faz-me sentir um misto de coisas estranhas. Não deixo de ficar feliz, mas não é mais a mesma coisa. Ou pelo menos, não o é agora...

#Happy Day ...

Estão, talvez só momentaneamente, interrompidos. Porque, de facto, não consegui ser feliz durante o número de dias a que me propôs... Lamento muito.


sexta-feira, 10 de outubro de 2014

#20- O que dizem de mim

"Hoje estás abatida, estás com uma cara de quem não está bem!"


Bolas!!! Afinal nota-se! Acho que não consegui ser forte o suficiente para esconder o que me vai na alma... 

Ah coraçãozinho tolo!!!

Quem me manda ter um coraçãozinho tolo que nunca se engana?
 Aqui estava o prenúncio!
De agora em diante a ver se te dou mais ouvidos...


Só para o euromilhões é que a coisa não funciona!

A vida abanou-me com força!


Hoje é o primeiro dia de uma vida diferente. 
Hoje o acordar foi frio, os olhos doem-me, as lágrimas teimam em surgir, os sorrisos serão forçados e só eu sei o nó que tenho no peito... Hoje se pudesse fugia de tudo e todos, isolava-me dos problemas, das pessoas, do mundo e voltava apenas quando tivesse a certeza absoluta que estava recuperada deste abanão!
Ontem foi uma noite difícil, ontem faltaram-me as palavras e um montão de sentimentos novos surgiram assim do nada, todos ao mesmo tempo e de rompante, ontem experiênciei coisas que não desejo a ninguém, ontem uma boa parte dos meus sonhos morreram, um pedaço do meu chão ruiu e a chuva caiu com sentido, o frio no corpo teve outra forma e as forças abandonaram-me... Ontem (e hoje) a palavra passado atormenta-me brutalmente. Ontem a vida abanou-me com força!!!
E hoje resta apenas um farrapo do que eu era ontem...
Hoje, embora tenha a certeza que só me arrependo da oportunidade perdida, repenso toda a minha vida. Hoje, tenho a certeza que se soubesse que era assim o fim da história, nunca tinha feito algumas coisas... Hoje vou fingir ser forte!

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

#Happy Day 34

Hoje destaco, uma vez mais, a amizade!


Obrigada pelo apoio neste momento tão difícil...

Agora sabia mesmo bem #9

Ter aquela mensagem especial, aquele colo/porto seguro, aquele abraço reconfortante, aquele aconchego bom, aquela sensação de proteção absoluta... Tudo isto sem ter que pedir!

#Happy Day 33

Ontem (sim não não consegui chegar a casa e fazer a publicação!) o dia foi um daqueles dias em que mais valia não me ter levantado da cama. Desde o trabalho, até à vida lá por casa, tudo foi complicado, difícil e cansativo. Estava mesmo exausta ao final da tarde! Mas... Tinha um jantar especial marcado e ainda bem que tinha este jantar! Foi mesmo, mesmo, mesmo bom! Dos melhores jantares dos últimos tempos, em boa companhia, com bom vinho, com comidinha simples, com sobremesa da mãezinha (obrigada mãe pelo mimo que pude levar e que adoramos muito!), com uma conversa de não crer parar e com este anjinho a dormir ao nosso lado...


terça-feira, 7 de outubro de 2014

#Happy Day 31 & Happy Day 32

Ontem, segunda feira, foi um dia importante! Um dia muito importante... Foi o teu dia mãe! E não pode haver motivo mais feliz, não há nada que me possa alegrar mais do que esta graça. É uma graça muito grande puder ter-te na minha vida, todos os dias, como o meu pilar e o meu tudo! Obrigada pela tua bonita idade, pela tua presença constante, pela força inesgotável e por tudo!


Hoje foi um dia longo, cansativo, doloroso e demorado. Afinal começar a semana numa terça com sabor a segunda doí um bocadinho. A noite também me custou um pouco, mas estou feliz, pois a ideia de mais uma viagem da minha vida começa a ganhar, cada vez mais, forma e sentido. :) 

domingo, 5 de outubro de 2014

#Happy Day 30

Hoje é domingo e os domingos são dias diferentes, por norma cansativos, mas muito felizes. A larga maioria dos meus domingos começa muito cedo... Levanto-me cedo (não dá para não me repetir!) e parto para a igreja, onde tenho "os meus meninos" à minha espera. A "minha igreja" é um local de polos, onde passo muito tempo da minha vida, onde já gostei mais de estar, onde me esforço para construir a paz e onde já vivi dias muito felizes, dias menos e dias muito pouco felizes... Dois polos porque - ainda - não se encontrou o centro!
Mas hoje vivi o melhor daquilo que é ser catequista! Tocar corações, apaixonar os pequenotes e fazer alguém um pouquinho mais feliz... Depois de levar Deus aos outros, acredito que é isto que o Deus do Amor me pede.
 
 
Hoje vivi uma pequena cena chorosa que não vou esquecer e que tocou verdadeiramente o meu coração! Sou feliz sendo um instrumento de Deus!!!

sábado, 4 de outubro de 2014

#Happy Day 28 & Happy Day 29

Ontem, sexta feira, o dia foi curto para tanta coisa que havia a fazer... Passei o dia e o inicio da noite a correr. Não gosto de sentir que não consigo conciliar tudo! Fico cansada e atordoada com tanta coisa... Mas ainda assim não infeliz! Fico triste é quando não tenho nada para fazer, quando os dias são longos e quando não há correria.
Hoje o dia foi semelhante, mas sem horários a cumprir, um dia cheio, com muitas coisas mas com mais liberdade para as fazer, sem horários fixos a cumprir e com muito tempo, até para não fazer ou descansar das coisas... E é bom ter muito que fazer!

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

#22 - Dicas para o homem perfeito

Para mim - e porque sou diferente da larga maioria - o homem dito perfeito tem que ter tempo e tempo de qualidade para estar simplesmente a fazer nada! Dou muito pouco valor ao dinheiro, ao trabalho e, sobretudo ao viver em plena obsessão pelo trabalho para ter uma vida com tudo do bom e do melhor... Não digo com isto que o homem perfeito seja um preguiçoso, não nada disso! Apenas não precisa de trabalhar de noite e de dia. 
É muito importante que essa "ave rara" saiba dar valor à companhia e ao tempo que pode (e deve!) dedicar a estar com a outra parte... 

#24 Conversas

Sobre café! Aquela bebida que aprendi a beber, depois a gostar e só mais tarde a degustar e saborear:

Conversa 1
 - Tu, estás a beber café? Nunca vi! pensei que não bebesses café?
 - E não bebo! Não bebo deste, que é péssimo.
 - E então?
 - Então hoje teve que ser! Para não adormecer...

Conversa 2
 - Estás a beber deste café? Mas tu gostas deste café???
 - Não o vou beber, só o estou a snifar!

Conversa 3
 - Bebes café?
 - Sim, claro! (...)
 - Mas tu não pões açúcar no café?
 - Não!
 - Como é que consegues?
 - Comecei por ir deduzindo, até que deixei de por...
 - Mas é tão amargo, Eu não consigo!
 - É uma questão de hábito. E depois, não é amargo! Assim saboreias melhor o café e ficas com o sabor a café na bcoa por muito mais tempo. E eu gosto!
(...) (...) (...)
 - Ainda sabes a café... :)

Conversa 4
 - Ah!!! Não posso tu também meches o café sem colocares açucar?
 - Sim! Qual é o mal?
 - É que isso é tão estupido e eu achava que só o P. é que o fazia!

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

#Happy Day 27

Gosto muito do Outono, mas confesso que me dá um gozo especial, ainda não ter que arrumar as sandálias, tops e roupas frescas... O calor parece ter chegado!!!


E hoje estamos tão bem na rua...

Os 30 anos e o relógio biológico

Parece-me (e espero bem que seja só um parecer!) que com a entrada nos 30 anos, há temas dos quais não me vejo livre com alguma facilidade! Mas se assim for, que venham eles. Venham lá eles, mas não venham todos de uma só vez! 
O primeiro tema - e só tenho 30 anos à 2 meses!!! - chama-se filhos (não escrevi "bebés" de propósito, ok?). Mas porque raios é que com a entrada nos 30 anos o relógio biológico tem obrigatoriamente de estar ligado e, consequentemente, tem que ser regulado/acalmado? 
A resposta dos comuns mortais é mais que certa: porque está a ficar tarde!!!
Pois é, deste tema, não me livro tão cedo! (pelo menos até ter um rebento!) A coisa está de tal modo "grave" que, até já tenho amigas, que subtilmente me vão perguntando: "Mas tu não queres ter filhos?" ou "Quantos filhos queres ter?" e eu vou lendo nas entre-linhas "Está a ficar tarde! Despacha-te! Não percebes? Arranja lá um gajo que te faça um filho!"... Mas eu relativizo e prefiro achar que grave, grave vai ser quando nas ditas perguntas incluírem, sobretudo na primeira questão, palavras com um efeito conclusivo, tal como o "Ainda" ou o "Já não". Para já, e por enquanto, quero mesmo acreditar que são só perguntas da praxe dos 30 anos!


Mas, ainda assim, perdi algum tempo a pensar no assunto e acho um excelente tema para soltar por aqui algumas palavras... 
O meu relógio biológico sempre foi maioritariamente passivo, claro que às vezes as hormonas me pregam uns alertas e tal, mas nada de desesperante, felizmente! A verdade é que sempre tive um relógio bem comportadinho e para ajudar a isso, acresceu sempre o facto dos bebés/crianças serem uma constante na minha vida. (sou tão sortuda!) Actualmente, por exemplo, tenho as minhas duas maiores e mais fieis amigas (ambas com 30 anos!) com bebés: uma com um na barriga e outra com o meu Tim!
- E isso desperta o quê em mim? 
- Muita felicidade, vontade de os apertar e estrafogar com beijinhos e mimos, desejo de lhes oferecer coisinhas fofas (aliás sempre passei horas a desejar comprar roupinhas em miniatura!) e uma alegria sem medida. 
- E o meu relógio biológico como reage? 
- Não sei, simplesmente, acho que não se manifesta!


E, tenham lá calma, não sou uma extra-terrestre, nem uma anormaloide!!!
Acho (e só acho, pois se calhar até sou qualquer coisa fora do normal) - reforço - acho que é normal que assim seja, pois não tenho reunidas as condições "necessárias" para que o mesmo toque a cada dez mil pulsações! Simplesmente não tenho, neste momento da minha vida, nada que me faça puder pensar num bebé meu! E tranquilizem-se que é só esse o motivo do meu atraso no "normal funcionamento" do meu relógio biológico.
Com 30 anos, ou melhor dizendo, mesmo já com 30 anos não me sinto preparada para ser mãe, não tenho estrutura emocional, financeira e sobretudo familiar (falta-me um pai para a criança, sabem!) para puder pensar neste assunto. É que, felizmente, uma criança não se encomenda por catálogo ou se "arranja" numa prateleira de super mercado. Há que ser planeada, pensada, desejada e sobretudo amada e isso tudo é um trabalho, que se quer, colectivo!
E, quanto às questões que me vão colocando...
- Quero ter filhos?
- Sim, gostava de os ter!
- E quantos?
- Desde muito criança que sonho com um mínimo dois, três quem sabe, quatro no máximo e se possível meninas gémeas... Mas serão os que a vida me permitir, se o permitir.
- E já vou tarde para isso?
- Não! Ou eu pelo menos quero acreditar que não...
E - não ataquem já - eu sei que existem risos acrescidos para as gravidezes tardias, mas não sou assim tão velha, ok? E depois, tive uma mãe que me teve a três meses de completar 41 anos e, ambas, estamos aqui! E naquela altura tudo era tão menos evoluído do que é agora...
Mas, enquanto o relógio não desperta, vou (se surgir oportunidade, se tiver que ser e se for o destinado) reunindo alguns elementos base para que quando o meu "atrasado" relógio biológico disparar, eu possa pensar mais a sério neste assunto!
Para já que venham as questões e admirações, que eu lido muito bem com a minha vida...

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

#Happy Day 26

Por muito que o diga, por muito que o repita é sempre pouco para chegar ao ponto do quanto eu ADORO bebés! 
E hoje chegou uma boa notícia:
 Vou estar com o meu pequeno Tim, já no ínicio da próxima semana... 


Happy!!!