quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Amar é querer ver a outra pessoa feliz!

Há uns muitos anos atrás li, algures num livro do Nicholas Sparks, qualquer coisa mais ou menos assim "aprendi que amar não significa estar junto, mas sim querer ver a outra pessoa feliz, mesmo que isso custe a sua felicidade". Na altura era uma adolescente tola e achei isto tão bonito, tão altruísta, tão “eu quero ser sempre assim!”… Mas, depressa passei a ser egoísta (após o meu primeiro fracasso amoroso) e tudo o que era lindo deixou de fazer sentido... Depois, achei que já era mais madura, e fui-me domesticando a esta afirmação e passei à fase do “eu quero PENSAR assim” e, é claro que quando gostamos ou amamos alguém queremos, mesmo muito, que essa pessoa seja o mais feliz possível! Mas queremos também, e sobretudo, que essa felicidade passe também por nós! Esta era a minha fase até há algum tempo atrás…
Hoje, e talvez só agora, percebo o verdadeiro sentido desta afirmação, isto porque com o tempo eu aprendi que querer não é só achar lindo, não é só pensar, não é só domesticar a nossa mente às coisas. Aprender é um processo importante! E era o mais importante da afirmação! Tal como um bebe que aprende a andar, faz parte deste processo de aprendizagem cair, magoar-se, chorar, levantar-se, voltar a cair, ter retrocessos e avanços… Mas no dia em que o processo está concluído tudo é tão melhor!
Assim tem sido comigo. Felizmente já aprendi alguma coisa com a vida, aprendi a ter que me despedir – pelos mais variados motivos – das pessoas que amo, aprendi a amar os outros ao máximo, independentemente de ser ou não ressarcida, aprendi a querer a felicidade do outro, aprendi a aceitar que essa felicidade possa não ser a minha, aprendi a ser capaz de qualquer coisa para que ela aconteça, mesmo que isso possa significar abandonar uma felicidade que era justo que fosse minha, nossa... E hoje sei que querer, fazer e deixar que o outro seja feliz, são coisas tão destintas!
Felizmente também sei que, quando fazemos as coisas para que a felicidade do outro seja completa, as coisas à nossa volta também se tornam melhores, as coisas podem demorar, mas são-nos proveitosas, vêm ao nosso encontro e a nossa felicidade surge, ainda que seja devagarinho…

Sem comentários:

Enviar um comentário