quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Alguns esclarecimentos...

Não, definitivamente eu não ando triste, nem abatida sem razão nenhuma... Ando, realmente um pouco mais apagada para esta época do ano pois a vida nos últimos tempos tem sido cansativa, dura e desgastante... Muitos compromissos, muito trabalho, muitas distâncias forçadas e pouco tempo para fazer o que mais gosto e para estar com as pessoas que merecem a minha presença. Contudo, não há nada que dure para sempre, bem sei! Só há coisas que demoram o seu tempo, outras há que vão deixar a sua marca para sempre e ainda há aquelas que aconteça o que acontecer serão, para sempre, eternas...
Esta época, para mim, acarreta sempre um misto de sentimentos muito grande e por muito feliz que esteja há sempre "qualquer coisinha" que falta. Tem sido assim desde o Natal de 1998! O último que passei com o meu pai, o último em que fui a tua menina, o último em que a felicidade foi tanta, mas tanta que não consigo esquecer ou até mesmo descrever, a noite estava linda, a casa estava tão, mas tão cheia, os presentes e as pessoas "importantes" estavam todas lá e nada, nada foi mau... É das minha memórias mais felizes! Depois disso, todos os anos te recordo naquela noite e todos os anos sonhos em silêncio junto à luzes do presépio lá de casa, com aquele passado que afinal era tão bom e eu não sabia... É claro que, depois disso, já houve outros natais muito felizes, bons, doces, santos, com crianças e a alegria típica dos presentes, natais repletos de paz, saúde e amor... Mas as crianças crescem, as pessoas vão e muitas vezes não voltam, o tempo avança, eu cresço e deixo definitivamente de ser menina e nem tudo é como eu gostava que fosse: para sempre!
Este ano estou mais melancólica do que o habitual, mais sensível, mais chorosa, mais saudosa... E também mais atrasada, quer nos presentes (ainda que simbólicos!), quer no espírito natalício, na ida às decorações de Natal, às luzes e às músicas e em tudo no geral... Estou em falta com algumas pessoas que me são especiais e, principalmente estou em falta comigo, por isso - e só por isso - sinto-me desolada por tudo se estar a reflectir nos compromissos que cumpro sempre no limiar das minhas capacidades e na minha saúde...

Sem comentários:

Enviar um comentário