terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Anem procura... Respostas #1



Porque raio é que as pessoas têm que ficar juntas, e quiçá casar!, só porque vão ter um filho em comum quando, na realidade, nem gostam uma da outra?




Introdução:
Desculpem se abro esta nova rubrica, com uma pergunta logo das fortes! Mas há que começar em grande, não? E, depois, para os que por aqui costumam passar informo, que esta nova rubrica surge como forma de expressão de inúmeras coisas que, muitas vezes (como é o caso!), não tendo directamente a ver com a minha vida, surgem na minha cabeça sem resposta. Coisas para as quais se calhar, nem há resposta! Coisas que de tanto que me incamitam me levam a desistir de encontrar resposta. Coisas que, por norma, gostava de discutir com alguém, "coisas" essas que não são mais que dúvidas que após algum tempo gasto perante o assunto, me enfurecem e tento esquecer. Assim, pode ser, que por aqui surja alguém que me elucide...

I
Nos últimos tempos, está pergunta, é também tema de algum interesse entre amigos e conhecidos! Ora bem, ainda ontem falava com uma pessoa conhecida sobre um amigo que ela tem que, coitado!!!, engravidou a namorada... Depois, algures na blogosfera, também lia um relato muito semelhante... E ainda, porque todos nós conhecemos uma meia dúzia de casos em tudo iguais... Pessoas que não percebemos como vão casar, como vão ter um filho juntos, pessoas que "aparentemente" jurávamos que ainda ontem estavam zangados e/ou com outra pessoa e que tudo o que menos queriam era ter filhos juntos, casar... Mas como é possível? E depois penso, e torno a pensar neste assunto (e em tantos outros!) e sinceramente não encontro a resposta!


II
Vamos assim tentar decompor a coisa, tentando não me perder. Porquê que duas pessoas que não gostam uma da outra estão juntas, ou se mantêm juntas? Como é que têm relações sexuais? Bem, esta questão acho que tem resposta mas... E COMO??? é que as têm sem o uso de preservativo? Depois há e tal queixam-se que aconteceu! Ora bolas foi um acidente. Acidente o tanas! Desculpem lá, mas estamos em pleno século XXI e os acidentes deste género parecem-me sempre um tanto ou quanto programados. (com as devidas desculpas àqueles que efectivamente sofrem destes acidentes...) Depois, porquê que, visto "ter acontecido" têm que passar a viver juntos? Casar? Se não gostam um do outro, não podem simplesmente criar o bebe? (RESSALVO que estou u-ni-ca-men-te a falar de duas pessoas que não gostam uma da outra!) E ainda me questiono do seguinte: será que essa criança que vai nascer vai ser feliz? Os seus pais vão dar-lhe que exemplo de amor? Estavam a pensar em quem, quando tomam esta decisão? É que não me parece que a criança seja beneficiada!
Já para não falar de que os filhos não seguram relações, muito pelo contrário. Muitas vezes "os problemas que trazem com eles" ajuda a que, o que já não era seguro: a falta de amor entre os pais!, seja transformado num baralho de cartas lançado pela janela em dia de ventania. E depois casos há ,aos milhares, de famílias problemáticas, de traições no seio do casamento e de mil e muitas outras coisas mais que tornam aquela "suposta família" infeliz... Será que é assim tão mau criarem juntos o filho, sem obrigatóriamente estarem um com o outro? Será que essa criança não seria mais feliz assim?

III
A minha opinião, que talvez se assemelhe mais com um conto de fadas. Mas que os há, lá isso há! É simples e parece-me tão despreocupada: acho mesmo que, onde não há amor verdadeiro nada mais devia existir. De enganos e mentiras anda o mundo cheio e se todos pudermos minimizar as coisas, melhor. Muitas são as pessoas que hoje se mantêm juntas pelos mais variados motivos, à excepção do único que verdadeiramente importa: o amor! Não sei a resposta à minha questão, mas acho que a solução poderá estar no ínicio das coisas, só "estar" com alguém por amor!

Conclusão
Não tenho. Nem percebo o porquê de algumas pessoas manterem determinadas relações, ainda que seja em prol do filho que vão ter...

 


Sem comentários:

Enviar um comentário