quarta-feira, 1 de abril de 2015

O último fim-de-semana

O último fim-de-semana foi qualquer de muito especial, muitas pessoas, muitos acontecimentos, muitas surpresas e alegrias, emoções e um sentimento meio "morno" que paira sobre a minha vida há já algum tempo.
As sextas-feiras ao final da tarde, por norma, são sempre péssimas, de grande correria, stress, horários, consultas e compromissos sobrepostos. Mas esta foi diferente, não houve nada disso! Apenas o cansaço e uma certa frustração de uma semana má de trabalho, que mesmo com uma boa acção não passou! Depois um convite para ir ao cinema que se ficou apenas pelo convite e no fim, acabei a noite na minha Ericeira, sem nada de muito fora do normal: um chá, um pecado (leia-se fatia de bolo de chocolate!), amigos, conversas e risos...
O sábado foi passado em grande speed, primeiro fui - finalmente!!! - fazer as minhas unhas. O mês de Março absorveu-me até o tempo que uso para me mimar. Depois de um almoço breve, começo uma aventura, com várias e várias tentativas de compras para as crianças lá de casa, que afinal já têm pouco de crianças (estão todos tão grandes!!!). Já andamos a preparar a 1.ª comunhão dos três sobrinhos mais velhos, porque depois fico sem tempo... E há que comprar roupa, sapatos, fazer as velas (depois mostro, pois serei eu a fazê-las!). Enfim ócios da árdua tarefa de ser uma mega-tia, sempre apoiada com a super-avó!


Depois, já a mais de meio da tarde, veio a tão esperada feliz notícia "NASCEU A LEONOR, CORREU TUDO BEM E AGR TEM OS PAIS TODOS BABADOS..." Dei um enorme salto do sofá, um grito e fiquei doida de alegria. Ainda bem que tudo acaba bem! Entretanto aventurei-me a fazer o jantar, que modéstia à parte, ficou uma bela porcaria! Comi a correr e fui ver as minhas "crianças" da catequese na Via-Sacra, e sinceramente fiquei verdadeiramente surpreendida... Não pelo "extraordinário" que fizeram, mas pela cala, postura e presença que têm. E depois fui para casa, cansada, de coração cheio, mas incompleta... A verdade é que não tinha força para demonstrar o quão feliz estava e por isso sentia que faltava algo. Recusei uma festa de anos! E adormeci...
O domingo foi um acordar também ele sempre a correr, algo que odeio! Sentir que já me falta tempo e o dia mal começou é algo que me atormenta de um modo muito, muito sério!!! Fui à missa, mas antes preparei uma surpresa e cumpri uma "espécie de promessa" (não gosto de prometer, prefiro agradecer e foi isso que fiz!) pela Leonor. Depois da missa foi hora de cantar os parabéns! E de fazer a diferença no dia das pessoas...
No domingo a minha catequese, foi dada à beira da estrada! Verdade! Fui com um grupo de jovens fantásticos despertar sorrisos nas pessoas e barulho nas ruas. Fomos tocar as pessoas, literalmente fazendo-as tocar na buzina do carro. Tínhamos cartazes a dizer "SE ÉS FELIZ, BUZINA" e não é que há muita gente feliz?! Mas o melhor de tudo é ver as reacções das pessoas, os sorrisos, o ouvir os sons dos carros e, sobretudo o sentir que as pessoas que passam por nós levam algo de nós e o contrário também acontece! Todos, sem excepção, gostamos muito e esta foi mais uma das muitas historias vividas enquanto grupo... Assim, sim!!!

Depois o almoço - que agora nunca parecem almoços de domingo! - foi em casa e tranquilo. Liguei para saber como tinha corrido o nascimento da princesa e fiquei tranquila e muito feliz. A felicidade dos outros, faz de mim alguém muito melhor. Ainda durante o pouco tempo que estive em casa, fiz o tão afamado Pão do Vaticano que ficou muito, muito bom (ao contrário do jantar de sábado!)... e ainda, um pouco de trabalhos manuais. De seguida fomos para uma das procissões quaresmais mais populares da paróquia, a da "Burrinha" que foi, confesso, a verdadeira penitência. Custou muito!!! Depois seguiu-se uma reunião chata do grupo de jovens e a noite acabou, inesperadamente, com um bom jantar...


Gosto de puder, de vez em quando, ir jantar fora sem motivo e sem ser combinada e então se for para comer muito bem, melhor ainda! Foi o que aconteceu na noite de domingo, companhia agradável, boa comida, bom ambiente, excelente conversa e uma noite que concluí, um fim-de-semana bom, diferente e inesperado...

Sem comentários:

Enviar um comentário