terça-feira, 12 de maio de 2015

Quando nos falta o ar...

Ontem precisei de ir apanhar ar. Ando impossível de aturar, mais chata do que o costume, sem paciência para nada e com alguma irritação que já roça os limites do aceitável. No meio de tanto mau feitio, às vezes, parece que me falta o ar, que não tenho espaço para respirar nos locais habituais e que o melhor mesmo é fugir. Foi o que fiz ontem!
Ao final da tarde peguei em mim e no meu tremendo mau feitio e fui para junto do mar, respirar fundo, admirar o horizonte, ouvir o bater das ondas, cheirar a maresia, sentir a neblina e esquecer... Já ia a mais de meio da viagem, quando a rota se alterou e fui parar a um local onde já não ia há imenso tempo, um local especial, saudoso e do qual só guardo boas memórias. O mar ali estava, diante de mim, enorme e profundo... Gosto particularmente de ir para junto do mar quando estou "menos bem" pois gosto de sentir que perante a sua imensidão eu, o meu mau feitio e problemas são tão pequeninos, insignificantes mesmo.

Sem comentários:

Enviar um comentário