quinta-feira, 30 de julho de 2015

Só porque sim #16


Hoje vai ser um 31...

Sem grandes planos! Mas com grandes desejos...
Hoje, no recomeço de mais um ano de vida, quero apenas aquilo que já referenciei aqui e tudo o mais que vier será pura felicidade...


segunda-feira, 27 de julho de 2015

Vou de férias... :)

Finalmente!!! Estou tão precisada... Este ano, POR TUDO, foi muito puxado... Estou para lá de exausta! Preciso mesmo e acho que, mais do que nunca, de férias, de paz, de descanso! Este ano, e nesta fase em que é só uma semaninha, vou uns dias para sul porque tenho necessidade de sair daqui, vou porque preciso de ver outros sítios e pessoas... Depois regresso para passar um dia em família (a minha e a do coração) e depois vou ainda onde o coração me levar.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Só porque sim #15


Estou [SOU] feliz!!!


Uma notícia feliz :)

Sou mesmo, e cada vez mais, uma pessoa que se alegra com as pequenas coisas da vida... Esta notícia deixou-me muito feliz e embebecida por tamanha riqueza/ternura...


Ah!!! E só para que saibam a maluca aqui, amava ter trigémeos... :)

It was not always so but


Balanços da minha vida #1

Não sei o meu dia de amanhã, onde vou estar, o que me vai acontecer, quem vou ter do meu lado... Por isso vivo (e agora mais do que nunca) com toda a intensidade o momento! Hoje, olho para trás e orgulho-me tanto da imensidão de coisas que já fiz, os lugares que conheci, os sítios por onde passei, as pessoas que marquei, os amigos que cativei... Não há nada do que me arrependa, mas se pudesse voltar a trás mudava algumas coisas, e sobretudo não deixava que o rumo da minha história fosse este... Hoje estou [SOU] feliz!!! E, é de coração cheio que o assumo... sem medos e sem rodeios! Mas se questionarem se me falta algo? Sim. Falta. Falta-me "algo" que não soube agarrar no passado e que hoje já não é mais meu... E será que ainda há tempo??? Fica uma boa questão e um medo atroz desta resposta...

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Ontem foi dia de SURPRESA!!!

20 anos...
20 motivos para sorrir...
20 embrulhos para desembrulhar...


e no final havia uns brincos "mini" de prata, numa caixinha de 3 x 3cm!

Anem, a decoradora :)

Para o baptizado da princesa Carolina, cujo bolo mostrei aqui, também dei uma mãozinha em toda a decoração. Uma das minhas grandes paixões é a decoração e, se nessa, conseguir incluir alguns trabalhos manuais, melhor ainda... Não está nada profissional, pois o tempo e os meios foram curtos. Contudo, acho que acabou por ficar tudo muito bonito e, mais importante, foi tudo feito com muito gosto, carinho, dedicação e amizade...

Uma bolinha danada que deu MUITO trabalho a fazer :)
A base dos centros de mesa...
Os centros de mesa. O tema era a "princesa Carolina"
 com as princesas da Disney como convidadas.
Eu aproveitei e dei largas à imaginação na cozinha...
Espetadinhas de frutas
As minhocas feitas com uvas :)
A mesa das frutas completa...
Este arco de balões foi sem dúvida a maior aventura.
NUNCA!!! Tinha feito nada com balões e apesar de tudo
até não ficou muito mau. Mas não está perfeito!!!
Se entretanto me chegarem mais fotos, vou mostrando...

sexta-feira, 17 de julho de 2015

#8 - Coisas que, por muito que tente, não consigo perceber...

Hoje termino o meu dia triste, de meia lágrima ao canto do olho, de coração apertado... 


Não percebo! Juro mesmo que não percebo! E não é ilusão, vil interesse, ingenuidade, armar-me na coitadinha que não sou!!! Não percebo porquê que às vezes parece que todos me vêem como má da fita... Bolas não sou perfeita! Claro que não! E, algum dia o disse que era? Muito pelo contrário. E tenho um montão de defeitos que assumo com maior ou menor dificuldade, mas ainda assim, hoje vou assumindo-os... Mas daí a ser um "pequeno-grande" monstro vai um passo de gigante! Serei assim tão má pessoa e convenci-me inutilmente do contrário? 
Hoje já ouvi coisas que doem para caraças!!! Compararem-me a pessoas que nada têm a ver comigo... Acharem que sou a causa e a razão de todos os problemas/afastamentos... Não sou nenhuma santa, mas também não me façam sentir pior do que aquilo que sou! 
As coisas nos últimos tempos não andam fáceis... e tudo isto, sinceramente, não veio ajudar em nada!!!

Compromisso futuro


Quando eu "tinha tempo" era algo que fazia questão de assistir...
Hoje já não lembro o número ímpar de vezes que assisti a um pôr-do-sol,
mas recordo com um sorriso no rosto muitos desses momentos, lugares e pessoas
que comigo partilharam muitos e muitos fins de tarde, junto ao mar, entre conversas,
gargalhas, suspiros, beijos, abraços e confidências tantas... 
Tenho saudades desses tão bons momentos!
Vamos fazer de novo?
Quem alinha?

Este foi o último a que assisti, tem quase 1 ano. Costa Nova "Aveiro"

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Bolos e Bolinhos #5

Ontem foi dia de baptizar uma princesa e eu dei uma mãozinha... no BOLO!!!

A de "Ana" e uma prespectiva lateral...
Pequenos detalhes: flores e laço tipo chanel...

C de "Carolina" e uma outra prespectiva...
E visto de frente este foi o resultado final...
As fotos além de terem pouca qualidade não mostram o quão giro (e bom) estava o bolo da princesa Carolina. Mais um que me deu muito gozo fazer... Aliás este foi especial! :) Pelo momento que eterniza, pela amizade e por tudo.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

A pensar na vida...

Nos últimos tempos, e principalmente desde o retorno do Telhal, tenho pensado muito na minha vida, no que faço, no que tenho e sobretudo nas pessoas que possuo à minha volta... E também, tenho pensado/lembrado muito aqueles que no hoje da minha vida, por muitas e diversas razões já não estão comigo... E, não me refiro aqueles que partiram para a Casa do Pai. Refiro-me aos vivos, não aos amigos que estão longe, mas àqueles que estão afastados de mim, aqueles que durante um longo e bom período de tempo foram (pelo menos para mim) amigos próximos e que a vida (???) afastou.
Nos últimos tempos tenho questionado muito se vale a pena destruir as nossas pequenas pontes por quase nada... Valerá a pena viver chateada, magoada ou triste com certas pessoas? A vida é tão mais do que isto! 


Tenho saudades de ser criança, viver como criança, ver como criança, pensar como criança, sentir como criança, agir como criança... Ser, talvez, um pouco como muitas daquelas pessoas que encontrei no Telhal... Queria voltar a ser criança, sem compromissos e responsabilidades. E, sobretudo, gostava de voltar a ser criança para relativizar todos os meus problemas!

"Um Abraço pode fazer toda a diferença"

quarta-feira, 8 de julho de 2015

Sobre mim...


Para o bem e para o mal...
Para o bom e para o menos bom...
No que diz respeito a sentimentos e emoções, mas também nas palavras e acções...
Não o faço para prejudicar ninguém, faço-o para que não me prejudiquem... 

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Hoje tenho mesmo muitas saudades...

Às vezes, se não todos os dias, tenho muita pena de ter algumas das pessoas mais importantes da minha vida longe de mim. É que viver todos os dias com um sentimento que se chama S A U D A D E não é nada fácil! Muito pelo contrário, é uma luta diária, um esforço que aprendi a suportar com o tempo. Mas, tem dias, tem momentos na vida, tem horas... em que é mesmo muito complicado!
Hoje já me lembrei vezes sem conta da minha mana do coração, da amiga louca que virou alentejana, do meu parvo preferido, do amigo que está de partida, da amiga que está chateada... e sinto tanto as suas ausências na minha vida do dia-a-dia... Alguns deles, bem sei! - que estão sempre comigo e eu com eles, mas ainda assim necessitava de os ter mais perto!


Também sei que amanhã a saudade vai embora e que o que não nos mata torna-nos mais fortes.

quinta-feira, 2 de julho de 2015

Porque eu só uso roupa e sapatos!


Excessivamente Feliz - Os agradecimentos

Para finalizar esta minha partilha sobre o meu grande fim-de-semana faltam alguns agradecimentos... Grandes OBRIGADAS que serão sempre pouco perante o que as pessoas me fazem ser e sentir de algum modo. Obrigada, por graças a todos vocês, eu puder ser um pouco melhor a cada dia...
Porque há coisas que não se agradecem e a amizade é uma delas!


Em primeiro  lugar tenho que agradecer ao meu grupo de catequese, todos os que ousaram ir para a Casa de Saúde do Telhal comigo puderam sentir na pele como eu sou apaixonada pelas pessoas e, mais concretamente, pelo ajudar o outro.
Vocês são muito especiais! Obrigada pelo orgulho desmedido que me fazem sentir a cada passo novo que dão, a cada gesto, a cada entrega... É um orgulho muito grande ter contribuído para a construção de homens e mulheres tão bons como vocês. Vocês são lindos! São grandes, espectaculares, são brutais! Não me canso de repetir o quanto me surpreenderam ao terem-se apaixonado tão rapidamente por todas aquelas pessoas... Vocês marcaram a diferença na vida de todas as pessoas com que se cruzaram, ao serem puros, verdadeiros, genuínos e capazes de enxergar para lá daquilo que os olhos vêm! Vocês demonstraram ter muito mais do que a idade que efectivamente têm, mostraram ser grandes! E mais, mostraram ser capazes de fazer grandes coisas... 
Este fim-de-semana aprendi muito com vocês, a sério! Quando vos via a sorrir, a dar a mão aos utentes, a alimentá-los, a caminhar junto deles, a limpar (muita!) baba, a admirarem-se por tudo o que acontecia à vossa volta como se num mundo mágico se tratasse, acreditem que eu aprendia convosco... Aprendi a admirar sete jovens que são especiais, boas pessoas, generosos de coração, hospitaleiros, companheiros e capazes de mudar o mundo! 
Como já vos disse - com orgulho! - convosco vivi os 10 melhores anos da minha vida! E vou estar sempre do vosso lado... Vou ajudar-vos em tudo  e serão, para sempre, os meus meninos... Parabéns!!! E não queiram nunca ser menos do que excessivamente felizes!


Depois, à J. Obrigada por desde de muito cedo te teres comprometido a ir comigo e a ajudar-me no caso de algo puder correr menos bem, Não foi necessário porque estávamos com miúdos especiais. Mas ainda assim foi importante estares comigo. És mais do que uma companheira, uma amiga, és família de sangue e coração... E já o tens demonstrado várias vezes. Este fim-de-semana foi só mais um entre muitos partilhados com alegria e amizade.


À minha pequena pipoca T.: és linda! E eu gosto de ti, pronto. Por tudo, obrigada! Foi bom estares comigo, ajudares e acompanhares as minhas piquenas... Sabes bem que, por toda a história de vida que em tão pouco tempo partilhamos, que é verdadeira esta amizade. E isso viu-se quando aceitas-te na hora o meu convite e pedido de ajuda... Foste/és uma "louca" presença que se mostra grande muitas vezes... Tive muita pena que não tivesses o tempo todo. Há tantas mais coisas que se podiam dizer, mas basta-me relembrar do que falamos, vivemos, sentimos juntas neste "fim de semana de loucos". Gosto da tua força, do teu carinho especial pelo Deodato, da tua espontaneidade...

T. e E., meus queridos! É impossível não ter para vocês um OBRIGADA do tamanho do mundo... Gosto mesmo de vocês!!!
T. és o meu "preto" preferido, com um coração e sorriso do tamanho do universo e o facto de teres ido connosco mostra o tamanho da tua generosidade. Sei que não nos conhecemos assim há tanto tempo, sei que a amizade tem vindo a fazer-se com pequenas parvoíces, mas também sei que és grande! E foi por essa grandeza que vieste dar duas mãozinhas. 


E., como te costumo dizer, "és tão boa pessoa que até doí!". Mas eu já gosto um bocadinho de ti! Confesso que tinha receio, era a tua primeira vez e, apesar de adulto, podias não ser uma grande ajuda. Mas foste! Foste uma grande ajuda, uma grande presença e uma caixinha de surpresas muito grande... Admiro (e reconheço-me) na tua capacidade de dizer sempre sim a tudo! Apesar dos disparates que dizes, sei que a nossa amizade vai prevalecer e continuar por muito tempo (mínimo próximos 10 anos!)... Obrigada pelas lágrimas!!! Pelas minhas que por tua causa chorei a rir por duas vezes e pelas tuas que me mostraram a pessoa sensível que és.

Fernando de Oliveira no seu caso as palavras são poucas e insuficientes para lhe agradecer tudo! Este grupo era especial e o Fernando percebeu isso desde o primeiro instante e ajudou-os muito. Ver para lá do borrão! Eles e eu nunca esqueceremos. E, este foi o primeiro de muitos encontros...

À família Seara de Cristo, de quem recorri para algumas ajudas: obrigada por terem estado connosco em caminho e oração, e obrigada B.C. pela mensagem que partilhei num momento de oração. Somos um só no que diz respeito ao servir os que sofrem...

Por fim, tenho que deixar um agradecimento a todos os enfermeiros e auxiliares que nos receberam tão bem nos seus trabalhos, nos ensinaram, orientaram e ajudaram... O que fazem tem o seu mérito próprio e vocês são grandes por isso... 

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Excessivamente Feliz - As conclusões

O Estar de coração cheio

Nós temos 2 olhos, 2 orelhas, 2 ouvidos, 2 braços, 2 pernas, 2 pés, 2 pulmões, 2 rins… Mas porque motivo só temos um coração?
 - Porque a nossa missão é encontrar o outro.
Deus fez-nos com um só coração para que possamos encontrar o próximo,
pois para partilhar é preciso o outro,
para evangelizar é preciso o outro,
para conversar é preciso o outro,
para ajudar é preciso o outro,
para abraçar é preciso o outro…
Deus não nos quer sozinhos!
Por isso o coração do homem só está feliz, quando está junto do outro.
E, mesmo que o nosso coração fique ferido,
devemos sempre dá-lo ao outro,
pois só assim o nosso coração fica alegre, feliz e tranquilo.

"Upside Down" (nome do nosso encontro) seria então a forma como todos nós passaríamos a ver o mundo!!! Isso foi-lhes explicado ao longo do encontro... Mas a questão agora era a seguinte:

O que neste momento enche o teu coração?

Para avaliar o encontro entreguei, a cada um deles, um balão em forma de coração e convidei a encher cada um o seu balão e a partilhar a resposta àquela questão. Surpreendente! Todos estavam felizes e apaixonados... Com uma vontade enorme de voltar (ou seria de não sair?) e com a certeza de que aprenderam a ver o outro de um modo totalmente diferente.
Já lhes disse pessoalmente que me surpreenderam muito, que eu não esperava que eles se apaixonassem com tanta intensidade por aquelas pessoas, aqueles rostos, aqueles toques... Eu estava de coração a rebentar e, mais uma vez a controlar as lágrimas. Foi tão bonito vê-los avaliar o encontro e perceber que todos perceberam a ideia do encontro: ver no irmão que sofre o rosto de um Jesus que os ama e caminha com eles. 
Eles conseguiram dar-se, entregar-se sem reservas, sem o medo normal do inicio, sem verem um doente mental em cada pessoa. Aprenderam a ver o mundo de "pernas para o ar", a ver para lá do borrão, ver as pessoas sem borrão! E eu só posso agradecer a Deus a felicidade que é acompanhar miúdos (de 16/17 anos) assim...


Tenho que realçar que a avaliação da I. me impressionou muito. Ela não tinha palavras, tudo nela tinha mudado, as ideias que tinha, os medos, o receio de não ser capaz... tudo estava diferente! Ela tinha construído uma ideia e depois tudo era diferente. Eles eram "normais"! E que bonito que é uma miúda conseguir olhar para uma "pessoa com doença mental" como se ela nada tivesse... Boa I.!!! Um dia serás uma grande médica!!!
Na minha própria avaliação voltei a realçar a surpresa que tive ao perceber que rapidamente se deixaram contagiar/apaixonar pela hospitalidade! E claro, não podia  deixar de referir aquilo que mais me impressionou, que foram as horas das refeições, a primeira principalmente. A forma como alimentavam os utentes era diferente! Havia amor, havia cuidado, haviam sorrisos, havia alma e sentimento...


A conclusão deste encontro eu tirei-a nos sorrisos, nas lágrimas, nos gestos, nos toques, nos olhares, no serviço, na hospitalidade, na entrega e no modo como vivemos estes dois dias! Foi muito bom! A minha melhor ida ao Telhal que, claro, só podia ser com o melhor grupo de sempre: JENGA!!!

Excessivamente Feliz - 4.ª Parte

O acordar de domingo foi demorado e costou um bocadinho...
Eu levantei-me, bati nas portas dos quartos, esquecí-me da música (bolas!) e fui até à rua, respirar um pouco daquele ar mágico... Era cedo, 8:30! Mas alguns de nós tinhamos prometido ir ajudar nos pequenos almoços. Chegamos tarde, mas sempre a tempo... Alí há sempre tempo para tudo!
Nas unidades tinhamos utentes entusiasmados e felizes porque iam à missa! O Sr. A comeu "duas, duas sopas"... O Sr. Z estava tão mal disposto, chateado e não nos queria perto dele. O Sr. N. lá estava aos gritos e, aparentemente, tudo estava normal!
Levamos todos quanto conseguimos e lá fomos, todos juntos pelos túneis para a bonita igreja do Telhal... É bonito ver os utentes a caminhar pelos tuneis em passo acelarado para irem para a Missa. Eles (e nós não porquê?) fazem da Missa uma verdadeira festa, um acontecimento importante...


A Eucaristia é tão diferente nesta igreja! Primeiro chegamos, "arrumamos" as cadeiras ao máximo e, fomos convidados a fazer a Oração dos Fieis, "todos estamos habituados a fazer, por isso vai qualquer um.". A B. ofereceu-se e fê-lo como eu nunca a havia visto fazer: muito bem mesmo!
A missa foi acontecendo normalmente, o salmo era bonito e foi maravilhosamente cantado... O ambiente era tão bom, apesar da responsabilidade e da presença de tantos utentes. Fiquei com o Deodato a meu lado, claro!, passou o tempo todo aos abraços e aos beijos nas minhas mãos, de vez em quando mandava-o falar baixo, outras vezes pedia-lhe para não se chatear quando mais alguém me cumprimentava... Ele é um querido! Mas as atenções tinham que se repartir com os restantes utentes que também necessitavam de alguma atenção, com o Sr. R. a querer fugir... E foram muitas as vezes que fixei o olhar nos Jovens voluntários que conduzi até aquele local. Um grupo de há tantos anos, com tantas qualidades e estavam ali a ajudar o outros, entregando-se à hospitalidade de um modo tão belo que me enchia o coração de amor. Os olhinhos e os sorrisos deles mostravam a felicidade que eles próprios sentiam. E que orgulho bom...
Entretanto, algo de inesperado aconteceu, o E. desfez-se em lágrimas... Todos os que estavam próximos tentaram ajudar, confortar... Até os utentes! O Deodato estava tão preocupado... Naquele momento, naquela igreja onde também eu já havia chorado, senti verdadeiramente a presença de Deus! Fiquei com o coração pequenino pois Deus manifestava-se ali, no inesperado, no meio dos doentes, nas coisas pequeninas da vida... Obrigada E. por teres ido!!!
Depois da missa, voltamos às unidades para levar os utentes e tivemos um bom pedaço de tempo para descansar. Estávamos todos cansados! Mas após o almoço, já não havia cansaço, havia trabalho nas unidades e fomos de novo ajudar nos almoços. Desta vez tudo era tão mais fácil, mais rápido (e aqui é impossível não me lembrar do Sr. L. que sugava a comida à velocidade da luz!) e o ambiente muito mais amigável... Sentiamo-nos em casa!!!
Enquanto fui levar o Sr. A. ao quarto para ele fazer uma sesta, a B. a I. e a C. assistiram a uma queda brutal do A.! Pobre A. que nem o capacete lhe valeu, mais um pouco de sangue, um penso e o susto que ficou... Já todas nos preocupávamos com eles!
Depois fomos com o Sr. R., finalmente beber café, "um carioca". Passou o fim-de-semana todo a pedir, depois lá percebemos que só pode beber dia-sim-dia-não. Deviam ver a felicidade dele quando lhe coloquei o café à frente!!! Que bonito... :)
Mas antes fizemos o caminho a conversar os dois, queria que eu namorasse com ele... A conversa teve pouco sentido, mas brinquei com ele e acho que percebeu que eu não me importava de ser sua neta, não sua noiva! Fomos passando por outras unidades, levamos mais utentes e a hora do café foi tão gira. Estávamos todos juntos. Como verdadeiros amigos, num café! Nós, os utentes e o Fernando...
O B. (um utente) veio falar-nos, pediu beijinhos e estava tão calmo que causava estranheza. Depois conhecemos um utente de 19 anos que dançava como ninguém da mesa e que falava de música, como eu não consigo falar! As minhas meninas estavam impressionadas... e os seus sorrisos de felicidades eram gigantes, mesmo! Já quase de saída, olhei para o lado e vi um Sr. (cujo o nome não me recordo) que escreve poemas. Disse às meninas para falarem com ele, para lhe pedirem para lhes ler um poema... Claro que a resposta foi super positiva e elas ficaram sem palavras. Bateram palmas, elogiaram, sorriram e se pudessem tinham lá ficado com ele. Como agradecimento, ele ofereceu-lhes o poema "Tremeliques" e elas não podiam ter ficado mais felizes... Vinham fascinadas!


Depois fomos despedir-nos às unidades, as despedidas são sempre difíceis, mas ali são diferentes! Não temos a certeza de quando nos voltamos a encontrar, se eles se vão lembrar de nós, se ainda lá permanecem quando regressarmos, se vão sentir saudades...
O Sr. Z voltou a receber-nos em seu quarto e estava, de novo, como o havíamos conhecido: simpático, meigo... Um querido... Um cavalheiro... Também passei pelo quarto do Sr. R. e brinquei de novo com ele, dei-lhe um beijinho. Tive pena do Sr. A estar a dormir, também gostava de lhe dizer adeus e de lhe dar "dois, dois beijinhos". No fim dissemos todas adeus, sem receber uma única resposta!
O Deodato, que tinha vindo connosco desde o bar, mas nós não o deixamos entrar na unidade, continuava à porta à nossa espera ("oh que querido!" - exclama a I.). Ele fez questão de nos levar até à casa onde estávamos. Sabia que estavamos de partida... Tiramos mais umas fotos pelo caminho (acho que ainda não referi, mas ele é "doido" por tirar fotos) e deixamo-lo de novo à porta:

 - Adeus Deodato!
 - Adeus amiga!

Era tempo de arrumar tudo e de avaliar o encontro, ou será que devo dizer, os muitos encontros que tivemos?

Continua... 

Lá fora cai umas pingas...

Ontem deitei-me tarde, hoje o acordar foi complicado e ao chegar à rua, deparei-me com o pior dos cenários: estava de chuva!!! O dia hoje, já se adivinhava complicado e a chuva veio ajudar a complicar um pouquinho mais as coisas...

Saudades de algo que já não posso ter???