sábado, 8 de agosto de 2015

Foi uma ENORME surpresa, num GRANDE 31 =D

Na sexta-feira a TV disse-me "para logo à noite não combines nada pois tenho que te levar a um sítio. Está despachada às 19:30h. Vou buscar-te! Não te preocupes com o jantar que jantas para onde vamos."  É claro que desmarquei coisas, alterei uma ou outra coisinha e lá esperei, espectante e muito curiosa, pela hora... Entretanto fui convidada a ir dar sangue e pensei "porque não! já não dou há tanto tempo? Esta é uma boa forma de começar os 31!" e lá fui. Já não voltei a casa a não ser de madrugada!!!
A T. (com quem também fui dar sangue) levou-me até à igreja do Sobreiro e, na porta de baixo, esperava-me uma passadeira vermelha que dizia "O Caminho"... Pronto mistério desvendado! Os "meus meninos" [que naquela noite maravilhosa demonstraram - mais uma vez - que já não são meninos!], tinham preparado para mim a derradeira surpresa!!! Foi a surpresa da minha vida!!! Algo tão grande como o sentimento que tenho por aquele grupo...
Na porta um papel que dizia "1.º ano"... A porta abre-se e naquela meia dúzia de metros quadrados só vejo balões, muitos balões! Pendurados, a cair do tecto, coloridos, em forma de coração... Que lindo, que mágico, que bom! Há uma mensagem de voz, (que com a emoção mal ouvi!) dão-me um pionés e tenho que encontrar algo num balão. Era a oração do pai-nosso que o grupo recebeu e ofereceu à comunidade na festa do seu 1.º ano! Depois passamos para a igreja [que estava irreconhecivelmente modificada!] e na mensagem do 2.º ano "estão meninos a brincar no largo", recordam-me esse tempo, o toque dos sinos, a fila que faziam para entrar ordenamente para a catequese e eu começo a ficar com o coração pequenino...
Há uma espécie de cortina que divide a igreja e avançamos para o 3.º ano. Ano, onde o sacramento da Comunhão lhes marca para sempre! Estavam diante do altar "os meus meninos" vestidos de branco, como se fosse aquele dia... Viver é recordar!!! Tiramos fotos e agimos como se daquele grande dia se tratasse... Recuamos juntos, num ambiente de festa e alegria, no tempo e isso soube tão bem! (Houve até quem vestísse o vestido que usou na 1.ª Comunhão!) Depois levaram-me para a sala que é utilizada como morgue, sentaram-me numa cadeira e mostraram-me um vídeo lindo, lindo! Era a "nossa bíblia" [4.º ano] feita com imagens nossas, como muitos momentos, com palavras minhas [muitas que escrevo por aqui mesmo!], com ensinamentos e modos de estar em grupo, em igreja e na vida, coisas bonitas e simples, algumas das quais já não me lembrava que lhes tinha ensinado. Aqui chorei, chorei bastante!!! Só pensava no quão fantástica é aquela gente linda... (e eis que vem mais uma lágrima ao escrever, ao recordar...) Sou mesmo chorona!!!
Depois fomos até à rua, estávamos a caminhar para o 5.º ano e eu tinha um "Quiz" para responder... Perguntas sobre eles, sobre frases deles, sobre muitos momentos que vivemos juntos, alguma coisas tão do passado que me fizeram errar imenso. A cada pergunta ganhava uma letra e no fim tinha que adivinhar o que dizia a cartolina. Apesar de toda a emoção, consegui chegar à resposta, "Dez Mandamentos", a festa daquele ano! Mais à frente, [6.º ano] e ainda na rua, sentaram-me num banco em rodinha com alguns deles e numa mensagem recordaram comigo as imensas vezes que tivemos catequese na rua, junto a um rio ou simplesmente no banco da igreja... recordaram-me o modo como o fazíamos e o seu porquê... eu quis sempre mostrar-lhes tudo! Ser e fazer diferente! E eles perceberam tão bem todas as coisas!!! Fantástico!!! Depois, voltamos à igreja e  na sacristia recordamos, de forma muito engraçada, a nossa ida à Quinta da Regaleira em Sintra, as peripécias, as aventuras e os sustos que pregámos uns aos outros e não só... Estávamos assim no 7.º ano!
Chegamos à capela e, aí confesso que - mesmo sem saber o que íamos fazer - o meu coração acelerou e controlei-me para não entrar num pranto infinito! 8.º Ano. Um ano de tanta e tanta coisa... Coisas boas e menos boas que partilhamos juntos, coisas que os marcou muito e que fizeram com que este grupo seja o que é hoje!!! Foi neste ano que lhes dei a conhecer e tiveram o 1.º contacto com a JMV (e mais uma lágrima!) e foi neste ano que tomei uma das decisões mais difíceis da minha vida! Eles relembraram-me isso... A B. leu "a carta" que lhes deixei quando tive que vir de Santiago do Cacém e os "abandonei" numa família tão bonita. Sentamo-nos todos diante do santíssimo, rezamos um Pai-Nosso e uma Avé-Maria e fizemos orações espontâneas, rezamos pelo avó da B. que está hospitalizado e agradecemos... Foi simples mas puro! Depois recordaram-me a profissão de fé (de novo vestidinhos a preceito), cantaram a Consagração a Nossa Senhora e ofereceram-me rosas brancas. Que delícia!!!
Avançamos para o 9.º ano. E à saída da capela, estava o grupo do pessoal que este ano fez o crisma, com um cartaz "Chegamos nós!" e como manifestação de alegria e agradecimento recebi um apertado abraço colectivo, depois ali naquele grande espaço, levaram-me a assistir a um vídeo, onde os que já não estão no grupo e/ou os que não puderam estar ali comigo me desejavam os parabéns! E ainda relembraram com uma mensagem muito bonita a nossa ida aos sem-abrigo a Lisboa "quando tu achaste que estávamos preparados levaste-nos...". Fiquei de novo de coração a rebentar!!! É tão bonito ver que eles percebem que fizeram muitas coisas, mas sempre nos momentos certos! E isso  - esperar pelo momento certo! - fez deles pessoas melhores...
E já só faltava o 10.º ano, o caminho estava quase a chegar ao fim. Não??? Para ser sincera, não me percebi que o 10.º ano foi tão grande, com tantas coisas boas e tão marcante... Subimos ao piso de cima da igreja, num caminho de luz sob a escadaria e no topo mais um cartaz "Se és feliz, apita!". SIM SOU FELIZ!!! Tinha uma peça de barro onde apitei muito, muito... E avançamos. A 1.ª sala, na porta podíamos ler "CBEI", entramos e ali recordamos o melhor e mais verdadeiro de todos os natais! Foi tão lindo... Depois, na sala onde o grupo se reúne dizia "Telhal" e aí foi tão bom, que desta vez chorei a rir! Na sala do fundo, encontramos "O futuro" e aí imaginei uma coisa totalmente diferente. Mais uma vez fui grandiosamente surpreendida! E fiquei tão feliz por tudo o que vi... Um vídeo que se passava no futuro, estávamos 10 anos adiantados, era o meu 41.º aniversário e eles gravaram-me uma mensagem de parabéns... Todos trabalhavam, uns casaram-se ou estavam a preparar-se para isso, [eu ia ser convidada e tudo!], outros partiram em missão... Mas ambos eram felizes e ainda me tinham nas suas vidas! (lágrima!!!)
Depois só faltava uma sala "Festival Vicarial da Canção" e aí estava o grupo vencedor... meti o pé na sala e começaram a cantar a JENGA. Faz - cada vez mais! - todo o sentido!!! Terminamos todos juntos a cantar este hino e depois num abraço colectivo recebi de novo os parabéns. Tínhamos ali, o jantar sob a mesa! Mas antes, pude abraçar cada um dos "meus meninos", apertá-los com força e dizer-lhes o quanto gosto deles, o quão especiais são e a necessidade que aquela Igreja tem deles...
Por fim e antes de começarmos a jantar (e depois de arrumarmos tudo!) ofereceram-me a melhor de todas as prendas! Sem desprazia de todas as outras! Mas gosto de presentes com sentido! Recebi um colar, com um pendente em prata com o símbolo do infinito e com a seguinte inscrição gravada "2015 JENGA". Fiquei deliciada!!! O presente surge como a cereja no topo de um grande, bom e doce bolo...


Depois jantamos, arrumamos toda a igreja, descansamos um pouco nos sofás e fomos para a festa da Achada! Mais uma vez feliz, de coração a rebentar e a sentir-me uma pessoa especial... Infinitamente, OBRIGADA!!!

Esta surpresa, todo o trabalho que eles tiveram, o esforço, o estar todo o dia na igreja a preparar algo que não é para o bem deles, a dedicação, a criatividade, a força, os sorrisos felizes, a garra, a juventude, a fé, a esperança, a vontade, a organização e a amizade mostrou-me, uma vez mais, que este grupo "tão especial para mim" é capaz de tudo! Eles são capazes de fazer grandes coisas e de ser a Igreja viva, unida e eficaz que é necessária à felicidade dos homens!!! A Igreja do Sobreiro precisa tanto destas pessoas! Por isso, este não "foi só o fim de um ciclo nosso, muito mais está para vir" (BG)!
Há, de facto, coisas infinitas... E o carinho, a admiração e o orgulho que tenho pelos "meus meninos" são algumas dessas coisas!

Ainda não tenho fotos dos momentos, mas assim que tenha vou publicando...

Sem comentários:

Enviar um comentário