terça-feira, 3 de novembro de 2015

Balanços da minha vida #2

Não sei muito bem o porquê mas nos últimos tempos tenho feito muitos balanços, refletido muito sobre a minha vida, sobre as coisas que me vão acontecendo, sobre o que se perde, sobre o ontem que vivi [mas não esqueci!], o hoje que nem sempre aprecio e o amanhã que não posso prever. Tenho pensado e voltado a pensar no modo como mudei e no como só agora dou valor a certas e determinadas atitudes, coisas, pessoas, gestos, palavras, olhares, suspiros... Tenho pensado no que me faz bem e - sobretudo - sobre o que me faz mal! E, no como afastar isso de mim e dos meus...
Tenho remexido o passado, buscando lembranças, relembrado muito - e consequentemente sentido saudade! - de algumas pessoas que hoje já não estão por perto... Tenho olhado para o bonito passado que vivi e apreciado com um sentimento nostálgico e bom o presente que vivo... Às vezes fico triste. Outras, com uma saudade imensa cravada no peito. Tem momentos em que queria muito voltar a sentir determinado toque, abraço, sabor... Muito raramente vem a dor, a mágoa, a tristeza, a raiva... Consigo, por breves segundos, fechar os olhos e recuar num mar imenso de recordações. E eis que surge o sorriso, a vontade de eternizar de algum modo a imensidão de coisas felizes que guardo na minha cabeça e no meu coração. E, é nesses momentos, que rio à toa! Rio de felicidade, gratidão e - de algum modo - de saudade.
Hoje - mais do que nunca - vivo o meu presente de pés bem assentes na terra. Faço o que quero e sou feliz! Mas o passado, esse não se pode esquecer e não o quero apagar. Gostava de o eternizar, grava-lo para sempre num disco externo onde fosse possível nunca esquecer e reviver sempre que a saudade ou os tormentos do presente me assaltassem...

Sem comentários:

Enviar um comentário