terça-feira, 12 de dezembro de 2017

#5 - Se há coisa que eu amo...

É escrever!
Gosto mesmo muito, mesmo não tendo lá grande jeito... Desde miúda que o faço. A minha mãe, que tem apenas a 4.ª Classe, sempre me incentivou a escrever e a ler muito. E também ela o faz!!! Ofereceu-me, ao longo dos anos, vários diários que eu fui enchendo de palavras soltas e que fui guardando com muito carinho. Ás vezes vou até ao sótão e ao lê-los ainda me entretenho entre risos, recordações e saudades... Depois passei a ter cadernos, simples e grandes, cadernos escolares de argolas, onde eu simplesmente anotava coisas, pensamentos, vivências, sentimentos e todo o tipo de recordações que eram no fundo nada mais do que diários, disfarçados de cadernos... 
Um dia, ao comentar com uma amiga, o quanto eu escrevia surgiu por parte dela a ideia da criação de um blogue. E, embora nunca tenha deixado de parte os cadernos, as folhas soltas e agora até o telemóvel, assim nasceu este blogue. Atualmente não escrevo tanto como queria por aqui... Mas, o gosto pela escrita não morre nunca. Podem calar-me, mas não impedir-me de escrever!
Há uns meses, aventurei-me na  escrita de "um livro"... Vai andando bem esse projecto... Mas, nunca terei coragem para o divulgar, muito menos de edita-lo. Contudo estou a gostar muito de o escrever!!!

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Fragmentos de uma "Carta aberta ao amor"...


Desculpa...
Já nem sei se posso escrever sobre ti… e não há como escrever sobre nós… Pois, na realidade, nunca houve um “nós”! Só eu e tu... Eu sei que da última vez que disse “adeus” o mesmo não aconteceu. Mas, eu receio, que seja desta vez. Tenho tanto medo… Adeus é a palavra mais ambígua que conheço. Por um lado, sei que se a digo te afasto, por outro acredito que te entrego Àquele que nos unirá para sempre: A Deus!
Nestes muitos anos, em que tive a sorte, de partilhar algum do meu tempo contigo, muito se passou... Um desassossego de emoções! Uma imensidão de dias e noites repletos de intensas partilhas, conversas, gestos, sorrisos, mimos e – quero tanto acreditar! – amor… E este último ano até tinha sido "tão doce". O último verão tão quente… Hoje sinto, mais do que nunca, que por minha culpa tudo isto não devia ter acontecido assim. Se calhar, o fim desta pista de obstáculos, desta louca e terna viagem na mais linda montanha russa da minha vida, chegou mesmo ao seu ponto de chegada: o fim!!!
Mas, eu não fico triste e, sobretudo, não me canso de agradecer ao céu a bênção que foi “ter-te” na minha vida! Tu vieste até mim, depois de eu ter jurado que não voltaria a gostar de ninguém. Mas, após anos em que só te dei motivos para fugires, tu insististe e persististe e, sobretudo, resististe ao meu mau feitio. E eu, que não queria conhecer-te? Hoje sei (e sinto) que ganhei tanto… A vida permitiu-me isto: ser sempre feliz quando tu estavas!
Tu, foste chegando de mansinho e fizeste-me sentir especial, deste-me atenção, foste sendo o melhor colega, amigo e tudo mais… como se eu fosse importante. E eu sentia-me importante… Tu entraste devagarinho e mesmo sendo eu inflexível, soubeste como arrancar os cardos à volta do meu coração, demolir muralhas, domar emoções, alterar conceções e pré-conceitos... Conseguiste chegar até mim, como nenhum outro alguém alguma vez chegou! Conhecer-me, desnudar-me, mimar-me e ludibriar-me de um modo tal que, quando percebi, já não havia como parar esta correria desenfreada...
Eu nunca quis que houvesse um “tu” na minha vida tanto como quero hoje! Um “tu” que me conquistou e que hoje já decifra silêncios, compreende gestos, intui emoções e vê para além daquilo que eu mostro ser... Alguém que antevê as minhas reações, os meus dramas, os meus medos... Alguém que quando ri comigo torna o meu mundo tolo... Alguém sempre presente e pronto para me ajudar a secar as lágrimas... Alguém que num abraço apertado me aprisionava e libertava em simultâneo e me fazia acreditar que ainda poderia existir tanto mais para partilhar… Juntos, eu comprovei que a rotação do mundo parava, mesmo quando o relógio voava!
Raras vezes te enfureceste comigo, mesmo quando eu cegamente prometia chegar a horas e me atrasava… vezes sem conta. O tempo passou, as tempestades surgiram, as bombas rebentaram… uma, outra e agora mais uma… e tu? Simplesmente… ias ficando. Sempre. A tua discrição e a tua calma... Ah! A tua infinda paciência comigo, para os meus atrasos, stresses e tudo mais... Creio que não volto a encontrar.
Mesmo por entre inúmeras distâncias e circunstâncias sempre me soube muito bem estar contigo. Aliás, és das pouquíssimas pessoas da minha vida, com quem eu sempre me senti bem, por quem o coração se desassossega horas antes do encontro e de quem já sinto falta momentos antes da despedida… Das raras pessoas que me lava a alma! Contigo sempre fui eu própria. Fui eu, tantas e tantas vezes, sem pensar… sem ter que fazer algo para agradar, surpreender, conquistar... Fui eu sem preconceitos, sem filtro, sem máscaras ou pinturas e tantas vezes sem tantas outras coisas... Eu a nu!
Uma ou outra vez, pensei que podia ser só contigo! Que acontecesse o que acontecesse, no fim existia uma espécie de "refúgio": Tu. Pensei que a minha história estava, de facto, escrita a letras douradas no mais puro e branco papiro… Acreditei que as histórias de príncipes e princesas podiam ser reais… Sonhei que os sonhos se tornam realidade uma vez vividos… Mas, não é possível!
Contudo, haja o que houver, e mesmo que este mundo não chegue, há uma verdade que aqui ficará registada para sempre: Gosto de ti. Gosto muito mais do que queria e gosto sem conseguir quantificar ou medir. Não muito nem pouco. Gosto apenas com as forças reais que tenho e sem artifícios que engrandeçam este gostar. Gosto de uma forma que eu não conhecia. Gosto sem saber definir o porquê. Gosto ao ponto de me doer de tanto gostar. Gosto de ti. Não sei porquê. Mas, o eu gostar de ti é tão certo como o respirar... Não estava habituada a gostar assim... No entanto, se não sufocar nesta carência, acredita que isto é e será sempre das melhores coisas que tive. Eu e Tu!
E, no fim, haja o que houver, não me esquecerei de ti… Não te agradeço a presença e tudo mais, porque as pessoas que nos são dadas para a vida, não se agradecem, engrandecem-se! Não me esquecerei pois estiveste tanto tempo na minha vida, que receio não ter um outro tempo tão longo... Não ficarás comigo, mas ficarás para sempre em mim por tudo o que me fizeste ser, sentir e viver... Nunca te vou crer mal!

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

terça-feira, 7 de novembro de 2017

#72 Frase da Semana




Quando um pobre morre de fome,
não é porque Deus não cuidou dele.
É porque nem você nem eu quisemos dar a ele o que ele precisava.

#27 - O que dizem de mim

"Você caiu do céu, muito obrigada. (...) Graças a si vejo a luz ao fundo do túnel"


Quando és o rosto de uma causa maior que tu e o teu dia se enche de uma paz imensa porque deste um bocadinho mais... Missão Ajudar!!!

terça-feira, 24 de outubro de 2017

Bolos e Bolinhos #18

Neste fim-de-semana tive uma encomenda para um bolo de 1.º aniversário de uma baby lindona! O tema era a Patrulha Pata e, claro está, a Skye tinha que estar no bolo! Menina que é menina adora esta cadela pink. Até eu, neste verão, comecei a simpatizar com a bichinha e entre a toalha de praia da Skye, o balde da Skye, a bola da Skye, a mala da Skye e todo um mundo da Skye... lá lhe fui tirando a pinta. E, não é que o raio da cadela tem muita pinta! É mesmo gira!!! Recordo alguns bonecos da minha infância com muito carinho: os ursinhos carinhosos, o pequeno pónei entre outros e... eles eram tão bonitos! Há uns tempos atrás os bonecos da pequenada eram todos horríveis, mas esta malta da Patrulha Pata não. Esta é gira! 
Pois bem, com esta pequena paixão, lá me aventurei a mais um bolinho em pasta de açúcar... Sou extremamente perfeccionista e há uma data de coisas que podiam estar muito melhores. Mas o tempo estava muito húmido e acabei por fazer os possíveis. Mas, a opinião geral foi unânime: estava lindo e bom!!!
O bolo era de laranja (uma receita especial da mãe!), foi recheado com creme de chocolate "tipo nutella" e coberto com pasta de açúcar branca e rosa. Os pormenores foram pedidos pela mãe da criança que queria um bolo simples mas bonito. E o resultado foi este:






segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Bolos e Bolinhos #17

Estavam em falta os dois últimos bolos feitos por mim, para as pessoas lá de casa:
O 1.º, o aniversário do Miguel que ficou lindo, saboroso e super difícil de comer (confesso que foi um dos bolos que mais me custou partir e comer! sniff sniff)
A massa era de noz com receio de doce de ovo, amêndoa e canela.




O 2.º, foi o bolinho para a minha mãe. Este ficou um pouco mal pois a pasta de açucar era de uma marca que nunca havia usado e, para ser sincera, era uma porcaria: rachava, tinha "gordura" e não tinha brilho para finalizar... Também a massa escolhida para o bolo não foi a melhor: Pão de ló! (é muito mole e faz com que o bolo não fique uniforme!) Mas ainda assim dá para perceber a ideia e ficou bonitinho!!!




terça-feira, 10 de outubro de 2017

Hino Make-A-Wish Portugal

A fazer 10 anos a Make-A-Wish em Portugal, lança um hino e eu gosto tanto!!!
Talvez porque gosto da organização e do que faz ao realizar os sonhos mais belos... também eu consegui sonhar ao ouvir este hino... E não sei bem se "vou saltar o muro de berlim e chegar a Marte de zappelin" ou se vou "contar um segredo ao Peter Pan, megulhar os pés num pudim Flan" pois também eu "quero ser o que eu quiser (...) e crescer, crescer, crescer..."

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Sem sorte ao amor?

Há um ditado popular que diz: "sorte ao jogo, azar ao amor!", certo?

Pois bem é mais ou menos disso que vos venho falar hoje! De azar ao amor? Pois, esse seria um tema bem interessante e com muito para vos contar, mas não! Venho falar de jogo. Mais, propriamente da minha alguma sorte ao jogo. 
A minha relação "feliz" com o jogo resume-se a 2€ de raspadinhas diárias de vez em quando. E, nos últimos tempos, até tenho tido alguma sorte... 
Há menos de um mês comprei duas raspadinhas de 1€ e ganhei 3€, voltei a gastar o dinheiro todo em raspadinhas e ganhei de novo 2€, com os quais voltei a comprar mais raspadinhas e assim consegui que me saísse "20x 2€" ou seja 40€!!! O meu recorde de prémios até à data... E que feliz que fiquei!!! 
Este fim-de-semana, mais propriamente no sábado, voltei a jogar e a investir 2€ e logo à primeira ganhei 4€! Com os quais pedi mais 2 raspadinhas, guardando quase religiosamente os meus preciosos 2€ para o bolso, voltei a ganhar 2€ e voltei a pedir mais 2 raspadinhas, ganhei mais 1€ e voltei a pedir mais uma e por fim ganhei 10€ que coloquei toda feliz e contente na carteira. Ontem estava sentada a fazer tempo, com uma papelaria de frente e pensei... "Vou ali comprar uma raspadinha"! Gastei 1€ e nada, voltei a comprar mais uma de 1€ e saiu-me "2x 5€"e claro, arrecadei os 10€, para a carteira feliz e contente!!!
Alguns dirão que é pouca a sorte, que já ganharam pequenas fortunas, que conhecem quem já tenha ganho não sei quantas vezes mais... Pois tudo bem, eu fico feliz por eles. A sério! Mas eu fico mesmo, mesmo feliz quando consigo uns trocos assim sem qualquer esforço e com um bocadinho de sorte. Dito isto, estou seriamente a pensar jogar no euro milhões e tentar a minha sorte...
Se ganhar, passam a ter-me mais tempo por aqui!!!
Se não ganhar, pode ser que a sorte e o azar se invertam! 😉

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

(...)

Sabem quando estão no carro a pensar em alguém... e depois surge uma canção...


e depois têm que a ouvir de novo... e de novo... e de novo...

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

E está quase, quase...


Ainda tenho trabalho que faz parecer que esta contagem está a invertida, mas a verdade é que está quase... E, este ano, vou ter mesmo férias! Vou, na primeira semana descansar, estar com a melhor amiga, com a sobrinha do coração e aproveitar a amizade, o tempo, as conversas e tudo o que nos distância na "normalidade" de uma vida sempre a correr... Vou para o sol e calor em terras do sul!
Depois, na segunda semana, vou para o canto oposto de Portugal, rumo ao norte, para estar numa terra que em faz sempre muito bem, com pessoas muito especiais e renovar as energias para mais um ano pastoral.

Bolos e Bolinhos #16

E porque o sobrinho do meio faz anos (como é que se passaram 15 anos?) quase colado a mim, fiz mais um bolinho... Este bem fresquinho a chamar o verão!





(e, mais uma vez as fotos estão uma bela porcaria!)

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Bolos e Bolinhos #15

Este bolo tem uma história que começa assim:

"Tia, vais dar-te ao trabalho de fazer um bolo para ti?" 
By sobrinho M.
(Resposta: No dia 28/09 vou pensar se me dou ao trabalho de fazer um bolo para ti!)

Pois é, fiz anos. E, este ano, contrariando a tradição de ter um bolo de compra, ou feito à pressa pela mão maravilhosa da minha mãe simplesmente porque eu não o fiz ou não o planeei ou não o desejei mas, depois a ocasião assim o exige, fiz o meu próprio bolo. Não fiz festa. Não fiz nada de especial. Mas, fiz um bolo diferente (tal como eu!) e fiz questão de ter as pessoas importantes comigo... Foi um dia muito bonito, que começou muito bem acompanhada e que deu para fazer muita coisa, entre beijos, abraços, mensagens, telefonemas e muito carinho daqueles que me são muito... E, sou tão grata por isso!
O pobre do sobrinho não está habituado a ver-me "gastar tempo" com coisas para mim... Mas acho que o devo fazer mais vezes, pois até acho que o tempo gasto com o meu bolo valeu muito a pena, certo?

Apresento-vos assim, o meu bolo de aniversário: bolo de limão, intercalado com bolo de espinafres com receio de mascarpone e kiwis, coberto com creme manteiga e decorado ao natural com eras e catos (do jardim), amoras, framboesas, mirtilos, bombons de licor beirão e macarrons... 







Nota: A pouca qualidade das fotos não mostra o quão bonito (e bom!) estava o bolo e também não mostra o "vistão" que o prato de pé alto fazia. :)