terça-feira, 11 de abril de 2017

Balanços da minha vida #3

Hoje, em plena Semana Santa (ou, como prefiro chamar-lhe, "Semana Maior!"), paro para repensar um pouco a minha vida. Ou melhor, para reler o meu passado! Porque o futuro está "nas minhas costas" e por isso devo construí-lo com os olhos postos no meu passado!
Mas, vamos com calma, o que é isto do futuro estar nas costas? Então? O Futuro não está diante dos nossos olhos? Pois bem, isto é algo em que os Judeus acreditavam e que, analisando bem, está correto! Hoje todos queremos esquecer o passado, viver "bem" o presente e planear o futuro o melhor possível e no fim acabamos por viver em constante adiantamento, sem aproveitar o presente e, sobretudo, ansiosos com algo que queremos que seja sempre novo: o futuro!
E, muitas vezes - a mim acontece-me diariamente! - este sobressalto da vida quase que nos enlouquece, desgasta e cansa... Consome-nos por andarmos sempre em contra-relógio. E depois, simplesmente, esquecemos que a construção do futuro só é possível à custa daquilo que é o nosso passado, relendo e aprendendo com esse passado, carregando nas costas o nosso passado... Com tudo o que isso acarrete! Com o peso que isso tiver!!! E - voltando à semana maior - não há-de pesar mais que a Cruz de Cristo! É esse passado que desenhará o dia de amanhã: corrigindo erros, remendando rasgos, tapando buracos, sarando feridas, refazendo o que de pior vivemos e projetando o melhor para que se repita, para que se prolongue, para que se engrandeça e, sobretudo, para que nunca se esqueça! Viver, corrigir, aprender e viver de novo... num ciclo bom que nos mostra quem somos desde sempre! Sem medo de estarmos no passado. Sem receio da nossa história. Sem o stresse frenético de fazer o futuro no agora.
Felizmente, tenho um passado muito bonito! Sempre feliz e em constante harmonia? Não! Nada disso. Aliás, muito pelo contrário!!! Eu tenho um passado feito de muitas pedras e quedas, de choros e dificuldades, de incertezas e angústias, de tristezas e amarguras, de ausências e perdas, de silêncios e solidão, de incompreensões e diferenças várias, de tempestades que me levaram a portos desconhecidos, de ventos que não raramente sopravam em direção contrária... Tenho um passado, que orgulhosamente me levou sempre a ser diferente! Mas, e sobretudo, tenho um passado onde encontro sempre motivos que me fazem esboçar um largo sorriso... Um passado com uma história linda, grande e grandiosamente abençoada por Deus. Uma história desenhada por um lápis que borra, que não é perfeito, que está frequentemente com a ponta grosseira. Mas, um lápis especial! Que está na mão certa, que sempre se deixa afiar, que permite que o ensinem a fazer melhor e que não se cansa nunca de esboçar borrões em tons de cinza de feliz...


Num momento em que me queixo, com demasiada frequência, de andar cansada, desanimada e meio perdida... Sou literalmente perdoada e sinto esta necessidade de parar, balancear a minha vida e aceitar!
Num desgaste constante na procura de tantos "porquês" não consegui, ainda, fechar feridas que tenho mesmo que curar! A noite escura - dure ela o tempo que durar! - não pode ser só um tempo de "porquês"! Não devo, não posso, não quero, nem vou mais desperdiçar tempo e energias a relembrar "palavras feias", pessoas más, momentos tristes... Vou sim, aproveitar tudo isso, que aconteceu no passado, para fazer - mais uma vez - diferente no futuro. Aquele futuro que tenho que alicerçar sobre o passado! Um passado onde Deus foi sempre o mais fiel! Por isso, no futuro, eu não posso esquecer esta realidade tão forte da minha vida!!!


Boa Semana Santa!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário