segunda-feira, 12 de junho de 2017

Para ler nas entrelinhas

Ontem de manhã cedo, enquanto conduzia e vinha sozinha do Catujal para o Sobreiro, pensava no turbilhão de coisas que têm acontecido... E, após a excelente homilia do meu padre e da agradável surpresa de uma jovem que me diz "eu quero e vou entrar para o grupo e para a jmv" noto como as emoções são tão difíceis de gerir! Emoções muito boas. Mas, difíceis de encontrar as "palavras certas" para as descrever, sem parecer que sou cruel. A verdade é que hoje eu estou certa que o que aconteceu na minha comunidade em novembro foi muito bom! Chorei, sofri, não compreendi e chorei... e passei por uma dor que de cristão nada tinha!!! (Nunca o partilhei por aqui porque estava de tal modo magoada que só queria esquecer aqueles momentos...)
Mas depois, graças à tempestade tive que me reerguer, ser exemplo de paz e perdão, limpar a casa...
Ao refazer o centro local, um dos nossos muitos compromissos era tornar o grupo forte, evidenciar que as diferenças existem e que são boas, passar a ir a mais atividades da JMV e caminharmos sempre unidos com a certeza que estamos no caminho certo! E, depois tivemos as eleições... e a ida o Telhal! E pronto. Depois, tudo o que tem acontecido parece agora fazer e ter um real sentido. Na verdade, se as coisas não tivessem acontecido assim, hoje nada seria possível! Provavelmente não tínhamos ido ao Telhal... nem ao torneio... nem nada estava a ser tão bonito!
Parece cruel! Mas, ainda bem que os outros jovens saíram da JMV, ainda bem que deram a hipótese destes miúdos mostrarem que são de um centro local brutal! Ainda bem que sairam para que haja lugar a mais e melhor... As coisas podiam ter acontecido de outro modo? Sim, podiam. Mas, foram assim. E, é assim que a história hoje nos faz ainda mais felizes!

Sem comentários:

Enviar um comentário